UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Pais e Professores > PLANOS DE AULA

Reprodução

História do Brasil

Inconfidência Mineira

Érica Alves da Silva*
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Objetivos

1) Conhecer a Inconfidência Mineira como uma das revoltas que antecederam a Independência e perceber suas especificidades;

2) Reconhecer os significados da Inconfidência Mineira e as intencionalidades de seus participantes;

3) Debater os sentidos da comemoração de 21 de abril para a história do país e a importância de alguns fatos serem anualmente recuperados com os feriados nacionais;

4) Reconhecer a existência de diferentes versões históricas;

5) Perceber que o livro didático também pode ser fonte para o trabalho do historiador.

Comentário introdutório

Todo estudo de História deve se pautar em conceitos como permanências e mudanças para que as analises busquem os sentidos que os fatos históricos tinham para seus agentes no passado. Isso explica a relevância dos estudos das ações de grupos interessados em promover o fim do pacto colonial entre Portugal e Brasil.

As análises sobre a Inconfidência Mineira fazem retomar sujeitos históricos que são lembrados constantemente pela população brasileira como Tiradentes. Entretanto, é preciso que esta revolta seja vista como uma entre aquelas que tentaram se opor aos desmandos da Coroa portuguesa, recuperando outros momentos em que esta oposição se fez sentir pelos colonizadores.

Somente dessa maneira, os alunos perceberão a importância de tal fato histórico e irão inseri-lo em um contexto de transformações, principalmente políticas, vivenciadas pelos indivíduos.

Estratégias

1) Primeiramente, é importante reconhecer o que os alunos já sabem sobre a figura de Tiradentes e sobre a conjuntura que leva à Inconfidência Mineira. Faça perguntas como: Quem foi Tiradentes? De que contexto histórico ele fez parte e por que se tem no calendário nacional um feriado em sua homenagem? Enquanto o grupo apresenta as informações, vá criando na lousa uma espécie de esquema que possibilite recuperar as informações em sua explanação, de modo que demonstre a importância da participação dos alunos no momento da aula.

2) Depois de perceber os conhecimentos prévios dos alunos, entregue diferentes textos de livros didáticos sobre a Inconfidência Mineira para os alunos dispostos em trio. Escolha textos em que a revolta apresente diferentes versões historiográficas. Repita cada texto em pelo menos três equipes, já que os grupos devem complementar-se na apresentação do conteúdo dos materiais porque se algum grupo não conseguir alcançar seus objetivos, os demais darão base para a atividade e auxiliarão a equipe com dificuldades. (Observação: escolha textos curtos para que os grupos tenham tempo de dominar o conteúdo).

3) Peça aos trios com o mesmo material que apresentem (juntos) para a sala o conteúdo, frisando a interpretação presente sobre a figura de Tiradentes. Faça interferências para tornar o explicado compreensível àqueles que não leram o texto e principalmente escolha a seqüência de textos de modo que ela construa a problemática e que o texto mais complexo fique por último. Assim, os anteriores auxiliam a compreensão.

4) Depois de todas as descobertas feitas pelos alunos, faça uma exposição sobre os aspectos que achar que tenham ficado mais obscuros. Recupere as informações que o próprio grupo forneceu no início do trabalho.

Atividades

1) Divida a sala em grupos novamente e entregue a cada um deles um dos aspectos que formarão um mural, cujo tema será a Inconfidência Mineira. Distribua aspectos como:

a) Data/contexto histórico;
b) Quem organizou?;
c) qual foi o objetivo da revolta?;
d) Ela alcançou os objetivos e por quê?;
e) Quais foram as conseqüências?

2) Depois de concluído o trabalho em equipe, os grupos devem apresentar suas respostas, ouvir os complementos dos colegas e do professor e afixar seu material como parte integrante do mural temático.

3) Por fim, proponha aos alunos o "julgamento de Tiradentes". Divida a sala em três grupos: aqueles que devem fazer a defesa, os que devem acusá-lo e o grupo que deve integrar o júri. Controle os tempos das falas e no final, depois de dado o veredicto, converse com a turma como foi defender um posicionamento que talvez não compartilhassem - daí a importância dos alunos não poderem escolher se farão defesa ou acusação.

Sugestões e dicas

Depois de os alunos apresentarem as descobertas sobre a Inconfidência Mineira, não esqueça de explicar o fato de existirem diferentes versões sobre o mesmo assunto e problematize o fato de o livro também ser um documento para o historiador.

*Érica Alves da Silva é professora de história.
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Inglês com a BBC Dicionários

    Aulete

    Português

    Houaiss

    Português

    Michaelis


    Tradutor Babylon


    Lição de Casa

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host