UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Reforma Ortográfica

Portugal e Cabo Verde adiam vigência do acordo ortográfico

Cidade da Praia, 15 abr (Lusa) - A implementação do acordo ortográfico em Portugal e Cabo Verde, inicialmente indicada para 5 de maio, foi adiada para o segundo semestre deste ano, garantiu nesta quarta-feira à Agência Lusa o ministro cabo-verdiano da Cultura.

Manuel Veiga justificou a decisão com o argumento de que alguns Estados membros acreditam que há necessidade de reunir "mais consensos e discussões" em relação ao projeto.

A data para a entrada em vigor em Cabo Verde, segundo Manuel Veiga, deverá ser definida após a reunião dos ministros da Cultura da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), marcada para junho, em Lisboa.

"Já tínhamos avançado que o acordo entraria em vigor em maio, mas ainda há necessidade de discutir mais e conseguir maior consenso, não só em Cabo Verde mas também noutros países, como Portugal, Angola e Moçambique", explicou.

"Possivelmente o acordo deverá entrar em vigor no segundo semestre deste ano", acrescentou, sem apontar datas, e lembrando que três países da CPLP - Angola, Moçambique e Guiné-Bissau - ainda não ratificaram o acordo.

Manuel Veiga afirmou à Lusa que a reunião dos ministros da CPLP pode ser uma oportunidade para a definição de uma data conjunta para que o acordo entre em vigor ao mesmo tempo em todos esses países.

"Se há países que acham que devemos aprofundar a questão no próxima reunião dos ministros da Cultura, entendemos que Cabo Verde deve ter esse compasso de espera para aprofundar o debate e, só depois, definir uma calendarização para a entrada em vigor e, se possível, na maioria dos países", sustentou.

"Se conseguirmos, juntamente com outros países, marcar uma data para que o acordo entre em vigor ao mesmo tempo, o acordo terá muito mais força do que se entrar em vigor neste momento apenas em Cabo Verde", disse.

Manuel Veiga disse que o acordo ortográfico também não vai entrar em vigor naquela data em Portugal, uma vez que as autoridades portuguesas "entendem que precisam aprofundar o debate".

A data de 5 de maio, Dia da Cultura da CPLP, foi adiantada à Lusa na Cidade da Praia pelos ministros da Cultura de Cabo Verde e de Portugal, durante a visita oficial que o primeiro-ministro português, José Sócrates, efetuou ao arquipélago, entre 12 e 14 de março.

Manuel Veiga vai aproveitar o adiamento para promover um estudo sobre o peso da Cultura na economia cabo-verdiana.

O objetivo, explicou, é obter indicadores econômicos para apresentar a empresários, produtores, agentes culturais e sociedade civil, em geral, conseguir uma noção mais clara da importância da cultura como geradora de emprego e de rendimentos e determinar que peso tem no Produto Interno Bruto (PIB).

"Basta verificar a existência de tanta gente que anda à volta da música, que anda a promover a nossa cultura, tanto lá fora como cá dentro. Tudo isso gera rendimentos", acrescentou.

Em maio, frisou, irá a Cabo Verde uma delegação da União Europeia (UE) com o objetivo de discutir com o ministério da Cultura os termos de referência e o financiamento do estudo.

Compartilhe:

    Receba notícias

    DICA DO DIA

    'Anti-inflacionário' e 'micro-ônibus' ganharam hífen

    Entenda a regra

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host