UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Últimas Notícias

27/03/2008 - 18h15

Colip quer reforma ortográfica aconteça em 2009, mesmo sem Portugal

Da redação
Em São Paulo
A nova reforma ortográfica entrará em vigor em janeiro de 2009, mesmo sem a aprovação de Portugal. É o que propõe a Colip (Comissão da Língua Portuguesa), órgão ligado ao MEC (Ministério da Educação) e representante brasileiro para discussões sobre o tema. A proposta foi encaminhada nesta quarta-feira (26) ao ministro da Educação, Fernando Haddad.

"O Brasil já mostrou interesse em marchar com Portugal nessa reforma e já esperou pela decisão deles. Agora é hora de a gente começar a pensar internamente. Se Portugal não concordar, o Brasil segue em frente", disse ao UOL Educação o presidente da Colip, Godofredo de Oliveira Neto, depois da reunião da comissão realizada em Brasília.

A proposta da Colip é de que, a partir de janeiro de 2009, todos os documentos escritos passem a circular com a nova ortografia. A exceção é aplicada à área educacional: apenas os livros didáticos, que serão distribuídos pelo MEC no ano que vem, ainda poderão conter a gramática atual. A obrigatoriedade da ortografia atualizada nas obras escolares começará a valer a partir de 2012.

Enquanto o país vai se acostumando à mudança gramatical, os vestibulandos e candidatos a concursos públicos não precisam se preocupar: as duas ortografias serão aceitas na correção dos exames, segundo a proposta da Colip.

Norma em vigor

Para entrar em vigor, a proposta da Colip deve ser acatada ainda pelos ministros da Educação, de Relações Exteriores (Celso Amorim) e da Cultura (Gilberto Gil). Se aprovada, é encaminhada ao Palácio para ser sancionada pelo presidente Lula.

A unificação ortográfica dos países de língua portuguesa é discutida desde 1991. Entre escritores e gramáticos, não há consenso sobre a reforma.

O país validou o acordo em 2004. Em fevereiro de 2006, foi a vez de Cabo Verde e, em dezembro do mesmo ano, de São Tomé e Príncipe.

Oito países fazem parte do acordo: Brasil, Portugal, Timor Leste e cinco nações africanas (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe). Juntos, eles fazem do português a oitava língua mais falada do mundo -- segundo o professor Ataliba de Castilho, consultor do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, o idioma fica atrás do chinês, inglês, hindi, espanhol, russo, árabe e bengali.

Sem o apoio de Portugal, o Brasil encara um entrave para colocar a teoria em prática. A grafia usada por Portugal é mais difundida no mundo. No último dia 3 de março, a proposta foi aprovada pelo país luso. O protocolo ainda precisa ser ratificado pelo Legislativo português mediante proposta do governo.

Por que a reforma e o que ela propõe

Leia mais
Moçambique analisa acordo ortográfico, diz presidente
Escritores dão argumentos pró e contra a reforma da língua
Reforma ortográfica não tem prazo para entrar em vigor, diz MEC
Portugal aprova reforma ortográfica e prevê seis anos para a implantação
Impasse em acordo ortográfico ficou caricato, diz Saramago
Como funciona a reforma ortográfica do português
Reforma ortográfica não deve sair em 2008, diz ministro
Reforma ortográfica pode ter diferentes velocidades, afirma CPLP
Falta só 'decisão política' para acordo ortográfico no Brasil
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Lição de Casa Dicionários

    Aulete

    Português

    Houaiss

    Português

    Michaelis


    Tradutor Babylon


    Intercâmbio

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host