UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Últimas Notícias

29/09/2008 - 16h15

Lula assina acordo ortográfico que entrará em vigor em 2009

Da Redação
Em São Paulo
Atualizada às 18h00

  • Reforma ortográfica vai trazer benefícios? Você é contra ou a favor do acordo?


  • O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou, na tarde desta segunda-feira (29), o decreto que estabelece o cronograma para a vigência do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. O evento aconteceu no Rio de Janeiro, em cerimônia na Academia Brasileira de Letras, durante sessão solene de celebração dos 100 anos de morte de Machado de Assis.

    "O acordo tem, na verdade, uma importância maior do que pode parecer à primeira vista. Por isso, precisa ser explicado com clareza para os cidadãos desse país", disse Lula, durante a cerimônia.

    Para o presidente, o acordo é um resgate das origens. "Quero destacar o resgate dos nossos laços com a África, principalmente com os países de língua portuguesa. É o reencontro do Brasil com suas raízes mais profundas, um reencontro consigo mesmo".

    Sem consenso
    A unificação ortográfica dos países de língua portuguesa é discutida desde 1991. Entre escritores e gramáticos, não há consenso sobre a reforma.

    O gramático e imortal da Academia Brasileira de Letras Evanildo Bechara acredita que não há desvantagem na unificação do idioma. "Para uma pessoa culta, essas alterações não representam uma dificuldade, mas para uma criança ou uma pessoa menos preparada, a diferença na ortografia pode causar dificuldade no entendimento do texto".

    Na outra ponta, o filósofo e escritor Hélio Schwartsman diz que "nunca foram meia dúzia de consoantes mudas --como nas formas lusitanas "adopção" e "óptimo"-- que constituíram barreira à intercomunicabilidade entre leitores e escritores dos dois lados do Atlântico".

    Em vigor
    O acordo entra em vigor a partir de janeiro de 2009, mas as duas normas ortográficas --a atual e a prevista no acordo-- poderão ser usadas e aceitas como corretas nos exames escolares, vestibulares, concursos públicos e demais meios escritos até dezembro de 2012.

    A reforma ortográfica prevê mudanças na língua portuguesa, como o fim do trema, a supressão de consoantes mudas, novas regras para o emprego do hífen, inclusão das letras w, k e y ao idioma, além de novas regras de acentuação.

    O acordo foi assinado em Lisboa, em 16 de dezembro de 1990, para unificar o registro escrito nos oito países que falam português: Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Timor Leste, Brasil e Portugal.

    A medida, segundo o MEC (Ministério da Educação), deve facilitar o processo de intercâmbio cultural e científico entre os países e ampliar a divulgação do idioma e da literatura em língua portuguesa.

    Por que a reforma e o que ela propõe



    Leia mais

    Escritores dão argumentos pró e contra a reforma da língua
    Impasse em acordo ortográfico ficou caricato, diz Saramago
    Reforma ortográfica pode ter diferentes velocidades, afirma CPLP
    Reitores de universidades de países de língua portuguesa discutem acordo ortográfico
    Reforma ortográfica defende interesses do Brasil, diz deputado português
    Colip quer reforma ortográfica aconteça em 2009, mesmo sem Portugal
    Portugal ainda não tem data para adoção do acordo ortográfico
    Portugueses reagem contra aprovação do acordo ortográfico e criticam o Brasil
    ABL apóia acordo ortográfico e diz que diferenças confundem

    Com informações da Agência Estado

    Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

    Compartilhe:

      Receba notícias

      Lição de Casa Dicionários

      Aulete

      Português

      Houaiss

      Português

      Michaelis


      Tradutor Babylon


      Intercâmbio

      Shopping UOL

      Hospedagem: UOL Host