UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Últimas Notícias

09/06/2009 - 20h50

Comissão de professores e alunos tem reunião com reitora da USP para negociar saída da PM

Simone Harnik
Em São Paulo
Atualizada às 00h59 de 10/6

Uma comissão formada por professores e alunos entrou na reitoria da USP, por volta das 20h20 para negociar com a reitora Suely Vilela a saída da PM da Cidade Universitária, no Butantã, em São Paulo.

Estudantes e funcionários entraram em confronto com a Polícia Militar no final da tarde desta terça (9).

A comissão é formada por cinco professores, três estudantes e dois deputados. "Viemos aqui no sentido de fazer de tudo para que os ânimos se acalmem", disse Sandra Nitrini, diretora da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas).

Enquanto isso, os estudantes estão em assembleia no prédio da História para decidir os próximos passos do movimento.

Segundo a assessoria de imprensa da USP, a reitora Suely Vilela passou o dia no campus e tem se mantido em contato com os diretores das unidades e outros professores.

Conflito no campus

Estudantes e funcionários da Universidade de São Paulo (USP) e homens da Polícia Militar entraram em confronto na entrada principal do campus da Cidade Universitária (zona Oeste da capital) por volta das 17h.

De acordo com universitários, o confronto teria começado na rua principal da USP. Estudantes informaram que policiais presentes no campus foram provocados com gritos e palavras de ordem por manifestantes. Um grupo de policiais em motocicletas viram a cena e pediram reforço. A tropa da força tática, então, foi acionada.

Não é possível precisar se a ação da força tática ocorreu antes ou depois de agressões de alunos. No início do confronto, universitários atacavam pedras e garrafas na direção da PM. Em resposta, a tropa jogava bombas de efeito moral e disparou balas de borracha contra os manifestantes.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência recebeu pelo menos dois policias feridos. Um estudante foi encaminhado para o Hospital Universitário.
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Lição de Casa Dicionários

    Aulete

    Português

    Houaiss

    Português

    Michaelis


    Tradutor Babylon


    Intercâmbio

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host