UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Últimas Notícias

09/06/2009 - 22h11

Manifestantes detidos em confronto da USP devem fazer exame de corpo de delito

Guilherme Balza
Em São Paulo
Durante o confronto ocorrido nesta terça-feira (9) na USP (Universidade de São Paulo), a polícia militar deteve o ex-funcionário e líder do Sintusp (Sindicato dos trabalhadores da USP) Claudionor Brandão, o funcionário Celso Luciano Alves da Silva e o estudante José Ailton Dutra Júnior, aluno do curso de história da instituição. Eles foram detidos no 93º Distrito Policial por desacato, desobediência e resistência à prisão e já foram liberados.

Os três manifestantes afirmaram que iriam para o IML (Instituto Médico Legal) para fazer exame de corpo de delito. Segundo eles, os três apresentam hematomas que foram causados pelos policiais durante os protestos. Na delegacia, foi lavrado um TCO (Termo circunstanciado de ocorrência), documento que registra infrações de menor potencial ofensivo.
  • Polícia e estudantes entram em confronto no campus da USP
  • Veja imagens dos protestos desta terça
  • Estudantes passam a noite no campus; ato está marcado para quarta
  • Em nota oficial, reitoria da USP "lamenta o confronto"
  • Vice-reitor garante à comissão que PM vai sair do campus
  • "Não há outra alternativa a não ser manter a PM lá", diz Serra
  • Entenda as manifestações na USP e a presença da PM no campus
  • O que você acha da intervenção da polícia na manifestação da USP?

  • Silva, funcionário do IEB (Instituto de Estudos Brasileiros) foi o primeiro a ser abordado ao ajudar o motorista do carro de som a manobrar o veículo. "Fui detido simplesmente porque estava próximo do caminhão de som", disse. Ao ver o manifestante ser abordado, Claudionor Brandão teria questionado a detenção.

    No caso do estudante José Ailton, sua detenção ocorreu porque ele estaria atrás da tropa de choque. Segundo ele, apesar de não ter havido reação ou agressão de sua parte, os policiais vieram em sua direção e o agrediram com cassetete e spray de pimenta. "É mais fácil prender, acusar, demitir alguém ou mandar o choque entrar na universidade do que dialogar", disse o aluno.

    Leia mais
    Protesto de alunos e funcionários fecha portão da USP
    Piquetes prosseguem, apesar de liminar
    Veja fotos da ação da PM na USP
    Imagens do piquete dos funcionários no dia 27
    Alunos invadem reitoria em 25/5; veja fotos
    Reitoria da USP entra na Justiça contra piquetes de grevistas
    Estudantes desocupam reitoria da USP
    Estudantes e funcionários invadem reitoria da USP
    Reitores propõem 6,05% de reajuste; Sintusp diz que "é pouco"
    Protesto na USP tem churrasquinho e samba
    Professores da USP decidem parar atividades na segunda-feira (18)
    Funcionários da USP iniciam greve nesta terça
    Ex-aluno da USP faz bolão e premia quem acerta dia de início da greve na universidade
    Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

    Compartilhe:

      Receba notícias

      Lição de Casa Dicionários

      Aulete

      Português

      Houaiss

      Português

      Michaelis


      Tradutor Babylon


      Intercâmbio

      Shopping UOL

      Hospedagem: UOL Host