UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Últimas Notícias

16/05/2008 - 15h36

Parlamento português aprova acordo ortográfico

Da Redação
  • O que você acha do acordo para unificação da língua portuguesa? Comente
  • Portugueses reagem contra aprovação e criticam Brasil


  • Passados 16 anos desde a assinatura, Portugal aprovou, nesta sexta-feira (16), o acordo ortográfico, que unifica a forma como é escrito o português nos países lusófonos.

    Apesar de polêmico, o texto foi aprovado por deputados de todos os quadrantes políticos -- desde o CDS à direita, até o Bloco de Esquerda -- com três votos contra e muitos deputados abandonando o plenário durante a votação.

    As mudanças na forma de escrever o idioma em Portugal vão valer dentro de seis anos, enquanto no Brasil os livros escolares deverão ser mudados até 2010.

    Questionado sobre o acordo, o escritor José Saramago, prêmio Nobel de literatura, optou por não entrar em polêmica: "Vou continuar escrevendo do mesmo jeito. Isso agora vai ser com os revisores".



    Vitória brasileira?


    Houve grande polêmica em Portugal. A iniciativa contrária à reforma com maior impacto no país foi uma petição na internet, que tentava convencer parlamentares a votar contra o acordo.

    O documento, que criticava a proposta por entender que este significava que Portugal cedia aos interesses brasileiros, teve mais de 35 mil assinaturas desde o início do mês, grande parte delas de intelectuais.

    "A língua portuguesa é o maior patrimônio que Portugal tem no mundo", afirmou o deputado Mota Soares, do partido CDS.
    Ironicamente, dois deputados que encabeçaram a petição - Zita Seabra e Vasco Graça Moura - não estavam no plenário na hora da votação.

    Zita Seabra disse que, como é proprietária de uma editora, havia conflito de interesses para votar o texto.

    Alterações


    Os estudos lingüísticos que basearam o acordo indicam que os portugueses terão mais modificações do que os brasileiros. O dicionário português terá de trocar 1,42% das palavras, enquanto no Brasil apenas 0,43% sofrerão mudanças.

    Para os portugueses, caem as letras não pronunciadas, como o "c" em acto, direcção e selecção, e o "p" em excepto.

    A nova norma acaba com o acento no "a" que diferencia o pretérito perfeito do presente (em Portugal, escreve-se passámos, no passado, e passamos, no presente).

    Algumas diferenças vão continuar. Em Portugal, polémica e génesis manterão o acento agudo - o Brasil continuará escrevendo com o circunflexo.

    Os portugueses manterão o "c" em facto - fato em Portugal é roupa - e vão tirar o "p" que no país não é pronunciado na palavra recepção.

    Atraso


    Aprovar as mudanças foi um longo processo. O conteúdo do acordo já tinha sido aprovado há 16 anos, mas não podia entrar em vigor sem que os Parlamentos ratificassem o protocolo modificativo.

    O protocolo previa que o acordo entrasse em vigor quando três países aprovassem o acordo - e não todos os que falam o português, como estava no texto original. No ano passado, São Tomé e Príncipe foi o terceiro a aprovar o acordo, dando validade ao documento.

    Para o governo português, a aprovação do acordo é o primeiro passo para existência de uma política internacional da língua portuguesa, que será anunciada quando Portugal assumir a presidência rotativa da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em julho deste ano.

    "É necessário agora desenvolver uma política de internacionalização, consolidação e aprofundamento da língua portuguesa, e o acordo ortográfico é um instrumento para isso", afirmou o ministro da Cultura, Antônio Pinto Ribeiro.

    Jair Rattner

    Leia mais

    Histórico das mudanças do português
    MEC exige que didáticos de 2010 tenham nova ortografia
    Colip quer reforma ortográfica aconteça em 2009, mesmo sem Portugal
    Reforma ortográfica defende interesses do Brasil, diz deputado português
    Moçambique analisa acordo ortográfico, diz presidente
    Reforma ortográfica não tem prazo para entrar em vigor, diz MEC
    Portugal aprova reforma ortográfica e prevê seis anos para a implantação
    Impasse em acordo ortográfico ficou caricato, diz Saramago
    Como funciona a reforma ortográfica do português
    Reforma ortográfica não deve sair em 2008, diz ministro
    Reforma ortográfica pode ter diferentes velocidades, afirma CPLP
    Falta só 'decisão política' para acordo ortográfico no Brasil
    Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

    Compartilhe:

      Receba notícias

      Lição de Casa Dicionários

      Aulete

      Português

      Houaiss

      Português

      Michaelis


      Tradutor Babylon


      Intercâmbio

      Shopping UOL

      Hospedagem: UOL Host