Drogas: Entorpecentes lícitos e ilícitos prejudicam o organismo

Maria Aparecida de Almeida Lico

Uma pesquisa recente sobre o uso de drogas mostrou que muitos jovens brasileiros consideram como drogas o cigarro e o álcool, assim como o crack e a cocaína. Já a maconha, por ser uma planta ou de uma erva, não é considerada uma droga por muitos dos entrevistados.

Entretanto, dirigir depois de fumar um cigarro de maconha pode ser tão desastroso quanto dirigir alcoolizado, porque essa substância reduz o tempo de reação dos reflexos. A maconha interfere diretamente no nosso sistema nervoso central, alterando nossa percepção da realidade.

O fato de pertencer ao reino vegetal não exclui a maconha (cujo nome científico é Cannabis sativa) da categoria dos entorpecentes. De fato, existe um grande número de plantas que são tóxicas, em especial no Brasil, país de grande biodiversidade. Algumas dessas plantas são bem conhecidas do público em geral, outras nem tanto. Comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia picta), copo-de-leite (Zantedeschia aethiopia), taioba-brava (Colocasia antiquorum), mandioca-brava (Manihot utilíssima), coroa-de-cristo (Euphorbia milli), avelós (Euphorbia tirucalli) são alguns dos exemplos mais clássicos. Você já ouviu falar delas? Algumas trazem o veneno em suas flores. Em outras, ele se encontra nas folhas, em outras ainda na seiva ou na raiz.

Drogas no sangue

É preciso tomar cuidado com o que levamos à boca, com o que respiramos ou mesmo tocamos. Tudo que absorvemos acaba chegando ao sangue e é transportado para as células: alimentos, remédios, bebidas, aerossóis (sprays), poeira... Além da boca, que é a entrada do aparelho digestório, outro caminho para as substâncias chegarem ao sangue é os pulmões. Nesse caso as substâncias serão, principalmente, gasosas, como o oxigênio que respiramos.

Durante a respiração, podemos inalar gases tóxicos misturados ao ar, poluído pelo monóxido de carbono dos escapamentos dos automóveis, por exemplo. Quando fumamos ou estamos perto de um fumante, também, inalamos fumaça com uma grande quantidade de substâncias prejudiciais à nossa saúde.

Mais do que um péssimo hábito, o tabagismo é uma doença, que provoca (tremendos) muitos malefícios. As substâncias contidas no cigarro de tabaco são cancerígenas, isto é, estimulam a multiplicação desordenada das células, o que forma os tumores malignos. O fumo é a principal causa do câncer de pulmão - incurável e mortal -, entre vários outros tipos de câncer. O tabaco também contrai os vasos sangüíneos, colaborando com os problemas cardiovasculares.

Alterações provocadas pelas drogas

Atualmente, para a medicina, droga é toda substância capaz de modificar a função do organismo, resultando em alterações fisiológicas ou de comportamento. Uma substância ingerida, por exemplo, pode contrair as veias e artérias (modificando sua função) e a pessoa sofre um aumento da pressão sanguínea (mudança fisiológica). Outra substância pode fazer as células do cérebro - os neurônios - ficarem mais ativas (mudança de função) e, conseqüentemente, a pessoa perde o sono por um período prolongado (mudança comportamental).

Para os médicos, então, são drogas a nicotina dos cigarros, o álcool, a cafeína e alguns medicamentos para emagrecer, por exemplo, além dos produtos ilegais como a maconha, o crack, a cocaína, o ecstasy, entre tantos outros. Mas as drogas, evidentemente, não são todas iguais. As diferenças estão no efeito que provocam, no risco a que expõem o corpo e na dependência que podem provocar.

Drogas lícitas e drogas ilícitas

O fato de uma droga ser ilegal não significa, necessariamente, que ela seja pior do que outras legalizadas, como o álcool e o tabaco. Aliás, o consumo de bebidas alcoólicas está aumentando entre os jovens. Essa constatação - possível pela simples observação dos bares noturnos nos fins de semana - também é comprovada por pesquisas. Há estudos nesse sentido tanto nas universidades, quanto na polícia, em especial nas estatísticas de acidentes de trânsito.

O álcool afeta temporariamente o cerebelo, órgão do sistema nervoso que é responsável pelo equilíbrio do corpo e que facilita a realização precisa dos movimentos. São necessárias algumas horas de repouso para o sistema nervoso voltar a funcionar perfeitamente. As células do sistema nervoso não são repostas como as demais células do corpo e, por isso, precisam ser conservadas pela vida toda. O uso constante de drogas como o álcool destrói neurônios, gerando problemas crônicos ou permanentes.

Em suma, nosso corpo possui duas portas de entrada: os aparelhos digestório e respiratório. Além de seu desempenho indispensável na manutenção de vida, eles também podem servir de caminho para substâncias muito prejudiciais à saúde. Grande parte delas coloca em risco nossa própria vida.

 
 
 

Maria Aparecida de Almeida Lico é bióloga e professora de Ciências, no Colégio Ítaca e no Núcleo Educacional Granja Viana.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos