Lobos: Lobos alfa e beta, linguagem corporal dos lobos e sua alimentação

Mariana Aprile

Personagens de fábulas, os lobos são tradicionalmente apresentados como criaturas malvadas, que devoram gente. Quem não conhece a história da Chapeuzinho Vermelho? Os lobos também figuram em filmes de terror como aliados de vampiros e lobisomens.

Infelizmente, muita gente acredita que esses animais são monstros sanguinários e isso fez, durante muito tempo, os lobos serem mortos aos milhares. Desde o início do século 19, esses canídeos foram envenenados e até mortos por metralhadoras de caçadores atirando de aviões. Entretanto, não há um registro de um humano sequer morto por lobos.

Entre 1870 e 1877, foram mortos 100 mil lobos por ano nos Estados Unidos, segundo a ONG International Wolf Center. No Estado de Minesota, restaram 50 lobos. Os Estados Unidos declararam uma verdadeira guerra contra os lobos. Tanto que quem matasse um lobo recebia cinco dólares de recompensa.

No estado de Wyoming, em 1913, quem libertasse um lobo de alguma armadilha era multado em 300 dólares. Assim, América do Norte praticamente exterminou os lobos de seu território. Ainda hoje, os lobos lutam para sobreviver nas poucas áreas naturais que restam e fogem da mira dos caçadores.

Sociedade dos lobos

Ao contrário do que se pensa, os lobos são um exemplo de inteligência, dignidade e respeito para com os seus iguais. Além disso, os lobos deram ao ser humano o seu melhor amigo, o cão. Ao invés de exterminá-los, deve-se aprender com eles - aliás muitas pessoas já se deram conta disso.

Os lobos vivem, geralmente, em alcateias, que são suas famílias. Nesses grupos há um casal dominante chamado de alfa, outro casal, chamado beta, que fica com o "comando" secundário do grupo e um lobo ômega - que ganha esse nome por ocupar a posição mais baixa na hierarquia da alcateia.

O macho alfa é quem toma as decisões na alcateia. Ele tem a força e habilidade de caça superiores às dos outros lobos. Sua companheira, que é seu par por toda a vida, comanda as fêmeas do grupo, e é a vice-líder, isso é, na ausência do alfa é ela quem toma as decisões do grupo. A sobrevivência da alcateia depende da sabedoria e liderança do casal alfa.

Lobos alfa e ômega

Eles ganham o respeito do grupo através de demonstrações de força, rosnados e ranger de dentes. É o macho alfa quem decide aonde a alcateia vai dormir, caçar e determina quem vai comer (depois dele, é claro). Se houver filhotes na alcateia, todos os lobos são responsáveis pelo bem estar dos infantes, e a fêmea beta exerce o papel de babá.

O lobo ômega é sempre o último a comer, e é tratado como bode expiatório da alcateia. Apesar disso, ele é também protegido pelo grupo, afinal ele é da família. O tamanho da alcateia varia muito, mas tem em média de cinco a dez lobos, como informa a International Wolf Center.

Lobos conversam entre si

Quando pensamos em comunicação, lembramos da fala e da escrita. Mas esse é o jeito humano de trocar informações. Os lobos não falam nem escrevem, mas se comunicam de diversas maneiras tão eficazes quanto a fala. Eles usam a linguagem corporal, e uma enorme variedade de uivos e sons.

Por exemplo, demonstram raiva ao deixar as orelhas apontadas para cima e mostram os dentes. Se estiverem com medo, as orelhas se voltam para trás e a cauda fica entre as pernas. Um lobo demonstra respeito ao manter a cabeça abaixo da cabeça de outro lobo, e quando deita de barriga para cima é sinal de submissão.

O olfato dos lobos é cem vezes mais potente que o do ser humano e eles também usam esse sentido para se comunicar - ao demarcar seu território com urina, por exemplo, o lobo está "dizendo" para outra alcateia que o território em questão tem dono.Também exalam feromônios para "dizer" quando é a época de acasalar. O uivo é muitas vezes usado para reunir a família de lobos.

Os índios que convivem com os lobos nas reservas e os cientistas que estudam o comportamento dos lobos deitam-se de barriga para cima ao deparar-se com eles - ficando numa posição submissa e demonstrando respeito ao canídeo, têm certeza de que ele não lhes fará mal algum.

Alimentação do lobo

Quando queremos fazer um churrasco, vamos ao mercado comprar carne certo? Agora imagine se tivéssemos que sair correndo atrás do boi como fazem os lobos ao caçar um caribu -a cena seria, no mínimo, cômica. Não há dúvida de que nosso "prato" escaparia.

Mas a cena de uma alcateia a caçar uma manada de caribus é emocionante. Primeiro, o lobo alfa encontra a manada e depois coordena a caçada. Ao perceber a presença dos predadores caninos, a manada de caribus dispara na direção oposta.

Os animais velhos ou doentes, ficam para trás e o lobo alfa toma a sua decisão, atacando o caribu mais debilitado. Então a alcateia segue o exemplo do líder e a "janta" está garantida. Mas nem sempre as caçadas são bem sucedidas.

A resistência dos lobos é algo impressionante, pois podem ficar até quatro dias sem se alimentar e ainda têm disposição e força para caçar. Por isso o Cannis lupus é dotado da capacidade de ingerir enormes quantidades de carne - há um registro na International Wolf Center de um lobo que comeu 10Kg de caça de uma vez!

Importância dos lobos

Como são predadores, os lobos contribuem para um ambiente equilibrado e saudável, visto que preferem se alimentar de animais velhos ou doentes. Quando os lobos abandonam uma toca, deixam para trás seus pêlos. Esses, são utilizados por diversas aves para construir seus ninhos e a toca vazia, é ocupada por outros animais, como porcos-espinhos, por exemplo.

Sem os lobos, a população de caribus e veados aumentaria e logo as pastagens não dariam conta de tantos animais, o que causaria desequilíbrios ecológicos. Além disso, o ser humano pode tomá-los como exemplo de muitas coisas. Pode parecer absurdo, mas o animal racional não consegue manter uma sociedade harmoniosa como fazem seus "irmãos", canídeos irracionais.



 

 

 



 

Mariana Aprile é estudante de biologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie e bolsista do CnPq. pagina3@pagina3ped.com



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos