Preposições: Usando as preposições corretamente

Patrícia Cordeiro Sbrogio, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação
(Atualizado em 27/06/2014, às 16h51)

Preposição é a palavra invariável que liga duas palavras ou orações, estabelecendo entre elas relações de sentido e de dependência. Sintaticamente, as preposições não desempenham uma função, são conectivos, ou seja, estabelecem apenas conexões entre termos da oração. Apesar de não exercer propriamente uma função sintática, o emprego adequado das preposições é essencial para a coesão do texto.

Classificação das preposições

As preposições podem ser classificadas em essenciais e acidentais. As essenciais são aquelas que sempre funcionam como preposições. Já as acidentais são palavras de outras categorias gramaticais que, em determinados contextos, agem como preposição. Veja alguns exemplos:

Essenciais Acidentais
a, ante, após, até, com contra, de, desde, em, entre, para, per, perante, por, sem sob, sobre, trás afora, como, conforme, consoante, durante, exceto, salvo, segundo, visto

Algumas vezes, a relação entre dois termos é estabelecida por duas ou mais palavras e não por uma preposição apenas. Nesses casos, a expressão é denominada de locução prepositiva. As locuções prepositivas mais usadas são:

abaixo de

acima de

além de

antes de

ao invés de

ao lado de

apesar de

atrás de

através de

de acordo com

dentro de

depois de

embaixo de

em frente a

em vez de

junto de

perto de

por entre

Combinação e contração

As preposições podem se unir a outras palavras, formando combinações e contrações. Ocorre combinação quando a preposição, na união com outra palavra, mantém todos os seus fonemas, ou seja, não sofre alteração no som. Isso acontece, por exemplo, na junção da preposição a e o artigo masculino o (s). Veja:

a + o (s) - ao (s)
Preposição artigo combinação

A contração ocorre quando a preposição, na união com outra palavra, sofre alterações fonológicas, ou seja, há perda de sons. Veja alguns exemplos:

da = de (preposição) + a (artigo)

no = em (preposição) + o (artigo)

numa = em (preposição) + uma (artigo)

pelo = per (preposição) + o (artigo)

dessa = de (preposição) + essa (pronome demonstrativo)

naquela = em (preposição) + aquela (pronome demonstrativo)

Note: A contração da preposição a com o artigo a ou com os pronomes a, aquele(s), aquela(s), aquilo recebe o nome de crase. Na escrita, esse fenômeno é indicado pelo acento grave.

Os valores das preposições

As preposições ao ligarem palavras ou orações estabelecem determinados valores semânticos, isto é, determinados sentidos que serão definidos pelo contexto. Observe os exemplos abaixo retirados da música O meu guri,de Chico Buarque:

"Chega suado e veloz do batente"
"Tanta corrente de ouro, seu moço"


No 1º
 caso, a preposição do relaciona as palavras chega e batente, indicando uma ideia de procedência. Já no 2º caso, a preposição de relaciona as palavras corrente e ouro, explicitando a matéria da qual é feita a corrente.

Veja alguns sentidos que as preposições podem assumir:

  • Vou à escola todos os dias. (lugar)
  • A biblioteca fica a duas quadras da minha casa. (distância)
  • A última partida do campeonato foi disputada com garra. (modo)
  • Gostaria de ir com você ao cinema. (companhia e destino)
  • A árvore foi cortada com um machado antigo. (instrumento)
  • O avião veio de Fortaleza. (lugar)
  • O professor estará aqui em 10 minutos. (tempo)
  • As lojas foram decoradas para o Natal. (finalidade)

Patrícia Cordeiro Sbrogio, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação é formada em Letras pela Universidade de São Paulo e professora de língua portuguesa na rede particular de ensino do Estado de São Paulo.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos