Topo

Biografias

Antunes Filho Dramaturgo, diretor de teatro e cineasta

Da Página 3 - Pedagogia & Comunicação

31/07/2005 11h16

Considerado um dos maiores encenadores brasileiros pela montagem de "Macunaíma", em 1978, José Alves de Antunes Filho iniciou a carreira no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC). Durante a década de 1950, realizou os primeiros teleteatros da América do Sul para as emissoras de TV Tupi e Cultura. Em 1953 dirigiu seu primeiro sucesso, "Week-End", com Nicete Bruno e Paulo Goulart.

Em 1958 realizou "O Diário de Anne Frank", com Felipe Carone, Raul Cortez e Walter Avancini, no Teatro Maria Della Costa; e "Alô! 36-5499", de Abílio Pereira de Almeida, com Felipe Carone, Armando Bógus e Nelson Duarte, no Teatro de Cultura Artística. No ano seguinte, na mesma casa de espetáculos, dirigiu "Pic-Nic", de William Inge, com Armando Bógus, Irina Grecco, Célia Biar, Nelson Duarte e Walter Negrão.

Depois de encenar várias peças de destaque no início da década de 60 - como "As Feiticeiras de Salem", de Arthur Miller, e "Yerma", de Federico Garcia Lorca - Antunes Filho fundou em 1965 o Teatro de Esquina, onde dirigiu "A Megera Domada".

Em 1970 produziu o filme "Compasso de Espera", que recebeu os prêmios Associação Paulista de Críticos de Arte, na categoria melhor argumento, e o Air France, na de melhor diretor. Em 1974 criou a Associação de Produtores de Espetáculos Teatrais de São Paulo e, em 1978, o Centro de Pesquisa Teatral - responsável pelos grupos Pau-Brasil e Macunaíma.

Em 1998 encenou "Prêt-à-Porter", escrita, dirigida e interpretada pelos próprios atores. Em 1999 "Fragmentos Troianos", baseada em um texto de Eurípides, estreou na Turquia e no Japão.

Ao longo sua brilhante carreira, Antunes Filho recebeu mais de 60 prêmios, inclusive o de melhor espetáculo teatral de 1982, na Espanha, por "Macunaíma", e o de melhor diretor no Festival de Teatro das Américas, realizado em 1987 em Montreal, no Canadá, com "A Hora e a Vez de Augusto Matraga", baseado em Guimarães Rosa.