PUBLICIDADE
Topo

Calvin Coolidge Presidente dos EUA entre 1923 e 1928

04/07/1872, Plymouth, Vermont

01/1933

Da Redação<br>Em São Paulo

28/02/2004 22h28

Calvin Coolidge nasceu no Estado de Vermont, em 1872, mas fez sua carreira política em Massachusetts. Filho de um lojista, ele se formou com mérito no Amherst College, e entrou para a advocacia e política em Northampton, Massachusetts.

Lentamente, ele subiu a escada política de vereador até governador do Estado de Massachusetts. Foi indicado vice na chapa que conduziu Warren Harding à presidência em 1920. No caminho ele se tornou amplamente conservador.

Às 2h30 da madrugada de 3 de agosto de 1923, enquanto realizava uma visita em Vermont, Calvin Coolidge recebeu a notícia de que, com a morte de Harding, havia-se tornado presidente. À luz de uma lâmpada de querosene, seu pai, que era um escrivão, ministrou o juramento de posse enquanto Coolidge colocava sua mão sobre a bíblia da família.

Como presidente, Coolidge defendeu o conservadorismo. Os EUA atravessavam período de grande prosperidade material. Numa política que se mostraria fatal em 1929, Coolidge se recusou a usar o poder econômico federal para refrear o crescente boom ou melhorar a condição adversa da agricultura e da indústria.

Sua primeira mensagem ao Congresso, em dezembro de 1923, pedia por isolamento na política externa, cortes de impostos e ajuda limitada aos agricultores. Ele se tornou rapidamente popular e venceu a eleição em 1924.

Em seu discurso de posse, ele afirmou que o país tinha atingido "um estado de satisfação raramente visto antes" e prometeu manter o status quo. Nos anos subseqüentes, ele vetou duas vezes projetos de lei de ajuda ao campo, assim como matou um plano para produção federal de energia elétrica barata no Rio Tennessee.

A estratégia política de Coolidge, apontou Walter Lippmann em 1926, era seu talento para não fazer nada: "Esta inação ativa... convém a todos os interesses de negócios que desejam ser deixados em paz... E convém a todos aqueles que se convenceram de que o governo neste país se tornou perigosamente complicado e pesado..."

Na verdade, a presidência de Coolidge foi o auge do liberalismo econômico, pois o governo pouco invervinha na economia, deixando sua condução a cargo de empresários e agentes financeiros. A ausência de regulação minou os fundamentos da economia americana. O país caminhava a passos largos para a supreprodução, e a especulação gerava fortunas na Boldsa de Nova York.

Coolidge foi ao mesmo tempo o mais negativo e distante dos presidentes, mas nenhum presidente foi mais gentil em permitir ser fotografado em cocar de guerra indígena e roupa de caubói, e na recepção a uma série de delegações na Casa Branca.

Em 1928, enquanto viajava em férias pelas Black Hills de Dakota do Sul, ele fez a mais famosa de suas declarações lacônicas: "Eu não escolho concorrer à presidência em 1928".

Na época em que o desastre da Grande Depressão atingiu o país, Coolidge estava aposentado. Antes de sua morte em janeiro de 1933, ele confidenciou a um velho amigo: "...eu sinto que não mais me enquadro nestes tempos".

Com informações da The White House Historical Association