Topo

Biografias

Carlos Gardel Cantor e compositor

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

16/07/2008 11h31

Há uma controvérsia sobre a data e o local de nascimento de Carlos Gardel. Para alguns, ele teria nascido em 1890, em Toulouse, na França, onde teria sido registrado como Charles Romuald Gardès, filho de Berthe Gardès e de pai desconhecido. Para outros, o nascimento teria ocorrido em Tacuarembó, no Uruguai, três anos antes.

O próprio Gardel costumava dizer brincando que nascera "em Buenos Aires, aos dois anos de idade". De fato, foi na capital da Argentina, para onde sua mãe imigrara, que ele passou a infância e a adolescência, vividos na pobreza. Desde pequeno, gostava de cantar e sua voz agradava aos ouvintes, pelo que, rapidamente, começou a usar do canto como forma de reforçar seu orçamento, cantando em esquinas, em festas e em comícios.

A história de Gardel misturou-se com a do tango, que surgiu em Buenos Aires durante a década de 1880. Originalmente, era uma maneira de dançar outros ritmos (habaneras, mazurcas, polcas). Aos poucos, tornou-se um ritmo em especial, com a contribuição dos negros que perfaziam 25% da população de Buenos Aires da virada dos séculos 19 e 20.

Há várias teorias sobre a origem da palavra "tango", embora todas apontem suas raízes africanas. "Tango" designa diversos locais da África, bem como, segundo documentos da era colonial latino-americana, é o nome que os escravos negros davam ao local onde faziam suas festas. E o tango surgiu mesmo num ambiente de classe baixa, na região portuária e prostibular de Buenos Aires. Por isso mesmo, era uma dança de forte apelo erótico. Os primeiros tangos cantados, por sinal, tinham letras obscenas (como revela o sugestivo "Dos sin sacarla").

Mas o primeiro tango-canção gravado, já mais bem comportado, foi "Mi noche triste", na voz do próprio Carlos Gardel, que também estrelou no mesmo ano seu primeiro filme (mudo), "Flor de Durazno". Gardel já era, então, conhecido na Argentina, tendo chegado ao sucesso em parceria com o uruguaio José Razzano, com que formava a dupla "El Morocho y el Oriental".

A carreira internacional de Gardel teve início na década seguinte. Entre 1920 e 1935, ele percorreu a América Latina, os Estados Unidos e a Europa, onde conquistou admiração incondicional, especialmente como cantor, mas também pelos filmes que estrelou. Destaque-se que Gardel fez diversos curta-metragens musicais que podem ser considerados os pioneiros dos videoclipes.

No auge da carreira, ao realizar turnê pela América do Sul, Gardel morreu num choque entre o avião em que estava e outra aeronave, no aeroporto de Medellín, na Colômbia, às 15h10. Seus restos mortais foram transportados para a Argentina, onde foram sepultados, no cemitério de La Chacarita. O túmulo é local de visitação pública e é comum que os populares coloquem um cigarro nas mãos da estátua de Gardel que há sobre ele.

Gardel morreu ao lado do parceiro Alfredo Le Pera, com quem compôs alguns de seus tangos mais conhecidos, entre os quais se podem destacar "Volver", "El dia que me quieras", "Por uma cabeza" e "Cuando tu no estás". Entre as muitas e merecidas homenagens ao cantor pode-se citar o fato de sua voz ter sido reconhecida como patrimônio da humanidade, pela Unesco, em 2003.