Topo

Biografias


Domingo de Soto Filósofo e teólogo espanhol

1494, Segóvia (Espanha)

1570, Salamanca (Espanha)

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

2009-10-17T01:32:00

17/10/2009 01h32

O frade dominicano Domingo de Soto estudou em Alcalá de Henares e em Paris. A seguir, lecionou em Segóvia e Salamanca, e foi nomeado representante oficial do Sacro Império Romano Germânico no Concílio de Trento por Carlos 5º.

Entre as inúmeras obras de De Soto destacam-se seus comentários sobre as obras Física e Sobre a alma, de Aristóteles. O dominicano também analisou a natureza da graça divina e escreveu um importante tratado de direito.

Domingo de Soto foi um dos primeiros membros do tomismo espanhol, mas nem sempre seguiu o pensamento de são Tomás de Aquino. Rejeitou, por exemplo, a doutrina da distinção real entre essência e existência - e preferiu adotar a posição de Duns Scotus, para quem o objeto primário do entendimento humano é o ser indeterminado em geral.

Mas não só a metafísica e a teologia de De Soto são importantes. Sua filosofia do direito e sua teoria política também merecem atenção. Ao contrário do que defendia o seu mestre, Francisco de Vitória, para Domingo de Soto a lei se origina da inteligência - e não da vontade do legislador.

Para De Soto, a lei natural é diferente da lei positiva: esta última baseia-se na decisão dos legisladores - e a primeira tem por base a natureza.

Ao lado de Francisco de Vitória, Domingo de Soto foi um fundadores da teoria geral do direito internacional.
 

Dicionário de Filosofia de Cambridge