PUBLICIDADE
Topo

Giovanni Casanova Escritor e aventureiro italiano

2 de abril de 1725, Veneza (Itália)</p><p>4 de junho de 1798, Dux, Boêmia (atual República Checa)<p>

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

11/11/2009 17h46

Giovanni Jacopo Casanova chegou a cursar o Seminário de Veneza, onde se preparava para a carreira religiosa, mas foi expulso dali por sua conduta escandalosa. Passa, então, a ocupar diversas funções: secretário de um cardeal, soldado, violinista, alquimista etc. sem jamais abandonar sua vida de jogatinas e libertinagem.

Em 1750 parte para a França, onde ingressa na maçonaria. A seguir, viaja por inúmeros países. De volta a Veneza, é preso pela Inquisição, acusado de exercício da magia, gestos de impiedade e participação na maçonaria.

Depois de cinco meses preso, foge de maneira espetacular e retorna a Paris, onde introduz o jogo de loteria e torna-se famoso como financista, sendo encarregado, inclusive, de missões diplomáticas. Faz grande fortuna, mas acaba na ruína.

Então, usando o nome de Chevalier de Seingalt, Casanova empreende viagens cheias de escândalo e aventura por toda Europa. Termina seus dias no castelo de Dux, trabalhando como conservador da biblioteca, onde escreve suas famosas memórias.

Retrato da vida e dos costumes europeus

Apesar de ter escrito poesias, libretos de ópera, trabalhos de matemática e filologia, e um romance - "Icosameron, história de Eduardo e Isabel" - que antecipa os temas utilizados mais tarde por Júlio Verne e H. G. Wells, Casanova se tornaria famoso graças às suas memórias: "Memórias... escritas por ele mesmo".

Obra escrita em seis longos volumes (no Brasil, a obra possui 10 volumes), as "Memórias" foram, inicialmente, expurgadas das passagens mais escandalosas, nas quais Casanova narra suas conquistas amorosas. Apenas em 1960 os volumes receberam uma edição completa.

Segundo Otto Maria Carpeaux, "Casanova foi considerado durante muito tempo apenas um autor pornográfico, mas hoje é reconhecido como grande escritor. Suas memórias destacam-se sobretudo por apresentarem um retrato vivo da vida e dos costumes da Europa no século 18".

Fonte: Enciclopédia Mirador Internacional