PUBLICIDADE
Topo

Hebe Camargo Comunicadora brasileira

8/3/1929, Taubaté (SP)

29/9/2012, São Paulo (SP)

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

03/10/2012 09h48

Autenticidade é a palavra-chave que melhor descreve Hebe Camargo, precursora e um dos maiores nomes da televisão brasileira. Nascida em 8 de março de 1929 e natural de Taubaté, cidade do interior de São Paulo, Hebe iniciou sua carreira artística participando do quarteto Dó-Ré-Mi-Fá, ao lado de sua irmã Estela e de suas primas Helena e Maria, ainda na década de 1940, quando se apresentava na Rádio Tupi em São Paulo.

Mais tarde deixou o quarteto e chegou a formar uma dupla caipira com sua irmã, mas essas participações serviram apenas como preparo para a sua carreira solo, que lhe trouxe êxito e popularidade. Foi assim que em 1950 Hebe estreou em disco, gravando sambas e mais tarde baiões e maxixes e começou a se apresentar em rádio, participando inclusive de programas criados por Mazzaropi, de quem era amiga. Sua carreira como cantora, entretanto, logo ficaria em segundo plano com a descoberta de novos interesses.

Convidada por Assis Chateaubriand para participar da primeira transmissão de TV ao vivo no Brasil, a cantora estava no grupo que se dirigiu ao porto de Santos para receber os equipamentos que dariam início à primeira rede de televisão brasileira, a extinta TV Tupi. Mas não participou do evento de abertura da TV, pois, conforme declarou muitos anos mais tarde, “fugiu” da cerimônia para acompanhar um namorado que tinha outro compromisso no mesmo horário. Fato, segundo ela, que a livrou de cantar um hino “horroroso” criado para a ocasião.

Foi esse estilo irreverente e cheio de autenticidade que marcaria a carreira de Hebe Camargo na TV, veículo no qual atuou intensamente durante mais de 60 anos. Nos anos 1950, começou a fazer sucesso como apresentadora ao estrear no programa “O Mundo é das Mulheres”, na TV Paulista, emissora na qual chegou a participar de vários programas semanais. Destacou-se, nessa época, ao substituir Ary Barroso num programa de calouros.

Múltiplos talentos

Além de cantora e apresentadora, Hebe também foi atriz de cinema, tendo participado de algumas produções nacionais. Já em 1949 estreava em seu primeiro filme (Quase no Céu), que foi seguido de “Liana, a Pecadora” e “Zé do Periquito”, este na companhia de Mazzaropi, ambos nas décadas de 1950 e 1960.

Mais recentemente, na década de 2000, chegou a fazer dublagem do filme de animação Dinossauro (como a personagem Baylene) e participou dos filmes “Coisa de Mulher”, uma comédia dirigida por Eliana Fonseca, e “Xuxa e o Mistério de Feiurinha”, da diretora Tizuka Yamasaki. Mas a impressão que fica é que ela mesmo nunca se levou a sério como atriz e não investiu muito na carreira cinematográfica.

A apresentadora

Apesar de ser uma boa cantora e ter feito sucesso com suas gravações no início de carreira, Hebe Camargo cedo descobriu seu talento como apresentadora de televisão e fez da TV a sua mídia.

Pioneira desse veículo, passou por boa parte das emissoras brasileiras e fez história em programas da Record, Bandeirantes e SBT que lhe garantiram público cativo e o reconhecimento nacional. É sempre bom lembrar que em todas as emissoras em que esteve a apresentadora teve boa audiência e abriu espaço para que artistas, jovens e consagrados, divulgassem seu trabalho.

Famosa pela espontaneidade e alegria ao conduzir seus programas, Hebe desenvolveu ao longo da carreira uma competência ímpar para deixar seus convidados completamente relaxados nas entrevistas. E a verdade é que muitas estrelas e personalidades que passaram por seu programa acabaram envolvidas por seu modo descontraído e revelaram bem mais do que pretendiam.

 O êxito da longa carreira acabou transformando a artista num ícone da televisão brasileira e num modelo que vem servindo de inspiração para muitos profissionais da área. Mais do que isso, a coragem e a verdade demonstradas perante as câmeras a tornaram um pessoa respeitada por todos. E, bem mais do que pelo bordão “gracinha” e pelos “selinhos” que distribuía à vontade, será lembrada como a grande comunicadora que sempre foi.

Diagnosticada com um câncer no peritônio, contra o qual lutava havia dois anos, Hebe Camargo morreu em 29 de setembro de 2012 na sua casa, no bairro do Morumbi, em São Paulo, após sofrer uma parada cardiorrespiratória. A apresentadora estava com 83 anos.