Topo

Biografias


Marc Bloch Historiador francês

6 de junho de 1886, Lyon (França)

16 de junho de 1944, Saint-Didier-de-Formans (França)

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

2009-05-21T18:12:00

21/05/2009 18h12

Filho de Gustave Bloch (1848-1923), que foi professor de história na Sorbonne, Marc Bloch dirigiu, a partir de 1919, as conferências sobre Idade Média na Faculdade de Strasbourg. Em 1936 passou a lecionar história econômica na Sorbonne.

Durante a ocupação nazista, Marc Bloch entrou para a Resistência francesa e fez parte do comitê diretor do órgão Franc-tireur (Franco-atirador). Preso pelos nazistas, foi fuzilado perto de Lyon.
 

Ciência das sociedades humanas

Interessado em questões econômicas e sociais, Marc Bloch funda, em 1929, com Lucien Febvre, os Annales d'Histoire Économique et Sociale (Anais de História Econômica e Social), de importante papel na difusão daqueles estudos.

Especialista em história medieval, Bloch distingue-se ainda como conhecedor da história das populações rurais. Durante cerca de dez anos, de 1929 a 1938, sua maior atividade concentra-se na divulgação dos Annales, que publica alguns de seus notáveis artigos, como "O problema do ouro na Idade Média" e "Aparecimento e conquista do moinho d'água".

Em seus artigos, talvez mais do que nos livros, Marc Bloch revela seu conceito de história. Duas expressões por ele amplamente usadas podem resumir esse conceito: "síntese" e "história comparada" (ou "comparativa"). Para ele é impossível a um historiador ignorar, por exemplo, os ensinamentos dos psicólogos, da mesma forma que estes não podem desconhecer os ensinamentos históricos.

A história comparativa é a reunião da história com disciplinas contíguas, num intercâmbio de serviços, abrangendo os mais variados setores, como sejam a toponímia, geografia, sociologia, psicologia ou economia política.

Para Bloch a história não é o acúmulo de todos os tipos de acontecimentos que sucederam no passado, mas a ciência das sociedades humanas.

O primeiro livro de Bloch, Os reis taumaturgos, é obra de grande originalidade, estudo ao mesmo tempo histórico, sociológico e de psicologia social. Sua obra geralmente considerada mais importante, Os caracteres originais da história rural francesa, baseia-se no exame dos tipos de campos e na interpretação da paisagem rural. Deu origem a uma série de livros de geógrafos e historiadores.

A sociedade feudal, último livro publicado pelo historiador, reexamina e reclassifica inúmeros de seus estudos, oferecendo novo conceito de história.
 

Enciclopédia Mirador Internacional