PUBLICIDADE
Topo

São Sebastião Mártir cristão

<p>256 d.C. (Data estimada), Narbone, França, ou Milão, Itália</p><p> 20 de janeiro de 288 d.C., Roma, Itália<p>

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

26/10/2010 07h44

Sebastião teria nascido em Narbonne, na Gália (França), em 256 d.C., no seio de uma família cristã. Cresceu em Milão, na Itália, onde também teria nascido, segundo Santo Ambrósio, bispo desta cidade.

Soldado do exército romano, continuou na sua fé e conseguiu converter muitos pagãos. Dizem que até mesmo o governador de Roma, Cromácio, e seu filho, Tibúrcio, foram convertidos por ele. Sebastião era admirado pelos seus superiores, que ignoravam sua crença, e chegou a ser designado capitão da guarda pretoriana.

Entretanto, suas atitudes brandas para com os cristãos somadas a denúncias, o fizeram comparecer diante do imperador para dar satisfações sobre a sua conduta. Diocleciano sentiu-se traído ao vê-lo afirmar a sua fé. Sua sentença de morte dizia que ele deveria ser amarrado a uma árvore e executado a flechadas.

Após a ordem ser executada, Sebastião foi dado como morto, porém estava vivo. Encontrado por Irene (Santa Irena), foi tratado de suas feridas. Depois, ele mesmo se apresentou diante do imperador, como testemunho do poder de Cristo.

Perplexo e assustado, Diocleciano mandou que fosse açoitado até a morte, o que ocorreu, segundo a tradição, no dia 20 de janeiro de 288. O seu corpo foi jogado no esgoto de Roma, de onde a piedosa Santa Luciana o retirou, para sepultá-lo dignamente nas catacumbas.

Posteriormente, em 680, os restos mortais foram transportados para a Basílica de São Paulo Fora dos Muros, construída pelo imperador Constantino.

São Sebastião é representado pela imagem do momento de seu martírio, amarrado a uma árvore e atravessado por flechas. Ele é o protetor da humanidade contra a fome, as guerras e as epidemias e padroeiro de diversas cidades brasileiras, além do Rio de Janeiro.

Comemoração: 20 de janeiro