PUBLICIDADE
Topo

Spinoza Filósofo e teólogo judeu

1632, Amsterdã, Holanda

1677, La Haya, Bélgica

Do Klick Educação

17/08/2015 20h58

Benedictus (Baruch) de Spinoza nasceu na Holanda, filho de uma família judia que fugiu de Portugal para escapar da perseguição da Igreja Católica. Graças a sua formação hebraica, obteve conhecimentos cabalísticos e de filosofia judaica medieval, assim como da ciência moderna e da filosofia de Descartes. Seu pensamento situa-se no mais puro racionalismo e, assim como Descartes, considerava a si próprio e sua existência como ponto de partida para o conhecimento. Em 1656, Spinoza foi excomungado de sua sinagoga e expulso da comunidade judaica, por ter se recusado a aceitar determinados aspectos da ortodoxia judaica. Ele achava que o cristianismo e o judaísmo sobreviviam graças a dogmas e rituais rígidos e negava que a Bíblia tivesse sido inspirada por Deus da primeira à última palavra, afirmando que, quando um crente lê a Bíblia, tem de manter em mente o período em que foi escrita. Assim Spinoza propunha uma leitura "crítica", o que revelou uma série de incoerências nos textos sagrados das religiões judaico-cristãs. A oposição que Spinoza encontrou em todos os setores levou-o a viver uma vida reclusa, dedicada inteiramente à filosofia. Depois de ser expulso da comunidade judaica, trabalhou como polidor de lentes ópticas para ganhar a vida. Acredita-se que o pó de vidro dessas lentes tenha contribuído para sua morte de tuberculose. Na fase final da vida, ofereceram-lhe um cargo de professor na Universidade de Heildelberg, mas ele o recusou, achando que seria uma ameaça a sua liberdade intelectual. Spinoza acreditava firmemente na liberdade de pensamento e de expressão. Interessava-se principalmente pela ética e foi um grande defensor da tolerância religiosa. Seus pontos de vista radicais sobre a Bíblia e o dogma religioso foram tidos como perniciosos. Ele foi rotulado de ateu, embora na verdade tivesse sido um homem extremamente religioso. Lamentavelmente, a animosidade de que foi alvo fez com que sua obra máxima, A Ética, só fosse publicada depois de sua morte. Para saber mais sobre o clima intelectual da época de Spinoza, leia: A Revolução Científica