PUBLICIDADE
Topo

Svante August Arrhenius Químico e físico sueco

19 de fevereiro de 1859, Wijk, perto de Upsala (Suécia)

2 de outubro de 1927, Estocolmo (Suécia)

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

17/04/2009 14h38

Svante August Arrhenius tornou-se famoso por suas teorias sobre a dissociação eletrolítica, assinalando o início de uma nova era nos estudos da físico-química.

Arrhenius ingressou, com 17 anos, na Universidade de Upsala, onde iniciou suas experiências. Logo depois de se doutorar, em 1884, apresentou sua tese, que o tornou conhecido no mundo científico, na qual estabelecia novos e revolucionários conceitos sobre a dissociação eletrolítica.

Partindo da teoria do físico alemão Clausius, que admitira que um eletrólito contém íons separados em quantidades muito pequenas, Arrhenius chegou à conclusão de que, na realidade, o número de moléculas dissociadas poderia ser uma fração tão grande do número de moléculas dissolvidas que se igualaria à unidade, em casos especiais de soluções bastante diluídas.

Essa teoria, muito combatida naquela época, foi finalmente aceita, quando experiências posteriores comprovaram sua validade.

Arrhenius explicava a eletrólise como uma dupla circulação de íons entre os elétrodos. Os íons, em contato com o elétrodo, perdem sua carga e adquirem, simultaneamente, novas propriedades, que se manifestam pelo depósito de um metal, pelo desprendimento de um gás, ou por outros fenômenos secundários.
 

Prêmio Nobel

Em 1891, Arrhenius foi nomeado professor da Universidade de Estocolmo. E, quatro anos mais tarde, assumiu a cadeira de física. Tornou-se reitor em 1897.

No ano de 1903, Arrhenius recebeu o Prêmio Nobel de Química.

Em 1904, convidado pela Universidade da Califórnia, nos EUA, ministrou uma série de conferências sobre sua especialidade. Voltou aos EUA em 1911, quando realizou nova série de conferências na Universidade de Male, em New Haven, Estado de Connecticut.

Arrhenius só interrompeu suas pesquisas com a aproximação da morte, em outubro de 1927.
 

Enciclopédia Mirador Internacional; Oxford Dictionary of Scientists