PUBLICIDADE
Topo

Thomas Hunt Morgan Biólogo norte-americano

25 de setembro de 1866, Lexington, Kentucky (EUA)

4 de dezembro de 1945, Pasadena, Califórnia (EUA)

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

17/12/2008 13h54

Thomas Hunt Morgan doutorou-se em 1890 e foi professor de zoologia experimental na Universidade de Columbia, cargo que deixou para dirigir o laboratório de ciências biológicas do California Institute of Technology, em Pasadena.

As pesquisas de Morgan levaram-no à formulação da teoria cromossômica da hereditariedade e lhe valeram o Prêmio Nobel de Medicina em 1933.

As primeiras pesquisas de Thomas Morgan referem-se à capacidade regenerativa dos anfíbios, equinodermos, moluscos, celenterados, anelídeos, etc. e resultaram na teoria de polarização orgânica.

Genes e cromossomos

Em Columbia, Morgan começou a estudar a hereditariedade com uma equipe de alunos, fazendo experiências de cruzamento com a Drosophila ampelophila e com a Drosophila melanogaster, que comprovaram as teorias de Mendel e permitiram determinar os princípios da genética.

Morgan comprovou a realidade dos genes como elementos corpóreos de localização específica nos cromossomos. Descreveu o sistema dos genes em Mechanism of mendelian heredity (Mecanismo da hereditariedade mendeliana), publicado por sua equipe em 1915.

As descobertas subseqüentes de Morgan referem-se à mutação e às funções hereditárias dos cromossomos.

Thomas Morgan foi presidente da Academia Nacional de Ciências dos EUA, entre 1927 e 1931, e de outras entidades científicas. Presidiu o 6º Congresso Internacional de Genética e deixou várias obras, das quais a mais importante é The theory of the gene (A teoria do gene), de 1926.

Durante seu período em Pasadena, Morgan dedicou-se, principalmente, a estudos sobre fertilidade e esterilidade.

Enciclopédia Mirador Internacional