PUBLICIDADE
Topo

Vicente Aleixandre Poeta espanhol

26-4-1898, Sevilha

14-12-1984 Madri

Do Klick Educação

17/08/2015 20h58

Apesar de ter estudado Direito em Madri, onde foi viver com a família aos 2 anos, foi à criação literária que dedicou toda a sua vida. Publicou o seu primeiro livro aos 28 anos, Âmbito, com influências gongóricas. No entanto, as suas primeiras grandes obras são Espadas como Lábios (1932) e A Destruição ou o Amor (1934), nas quais o amor é apresentado como uma paixão dissolvente que faz fronteira com a morte. A assimilação do surrealismo tornou-se patente na prosa Pasión de la Terra (1935). Depois da Guerra Civil da Espanha (1936-1939), resolveu sujeitar-se a um exílio interior, permanecendo na Península Ibérica, o que o transformou numa referência para as gerações poéticas do pós-guerra. Em 1944 publicou Sombra del Paraíso, um sereno canto feito a um paraíso sem homem e sem história. Em 1949, quando foi eleito membro da Real Academia da Língua Espanhola, já trabalhava em História do Coração (1954), título que marca uma reorientação de sua poesia em direção ao "nós", impregnada de compreensão e solidariedade. Cultivou esta tendência até 1968, quando, com Poemas de la Consumación, retorna à lírica de profunda inspiração intimista e filosófica, na qual reincidiu depois em Diálogos do Conhecimento (1974). Em 1977 recebeu o Prêmio Nobel da Literatura.