PUBLICIDADE
Topo

Xenofanes de Colofão Filósofo pré-socrático e poeta grego

Cerca de 570-528 a.C., Colofão, Grécia.

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

20/08/2005 08h48

"Mas se os bois, os cavalos e os leões tivessem mãos
ou se fossem capazes como os homens de pintar obras com as mãos,
os cavalos como os cavalos, os bois como os bois
pintariam o aspecto dos deuses, e fariam o corpo deles
tal qual cada um deles o tem." (Fragmento15)

Esta reflexão sobre os deuses é uma das mais conhecidas entre os pensamentos que chegaram até nós do filósofo Xenófanes, que nasceu em Colofão, na Jônia, mas foi forçado, por volta dos 25 anos, a deixar sua cidade natal para escapar aos persas.

Sem residência fixa, levou uma vida errante. Passou parte dela na Sicília. Foi poeta, sábio e cantou seus poemas através da Grécia. Em oposição aos filósofos de Mileto, só escreveu em versos.

Ficou famoso com os ataques aos poetas Hesíodo e Homero e aos pensadores Tales, Pitágoras e Epimênides. Nos fragmentos 173 a 175, Xenófanes afirmou a existência de um só Deus, sem forma e pensamento humanos, imóvel e onipotente, mostrando que suas desconfianças lançadas sobre os mitos não visavam extinguir o pensamento religioso, ou a forma mítica em si, mas tão somente a falta de propriedade desse tipo de narrativa em abordar questões religiosas, morais ou, por extensão, tudo aquilo que fosse passível de ser contradito por um discurso "verdadeiro".

Com sua filosofia panteísta , dedicou-se a demonstrar a unidade e perfeição de Deus e exerceu influência sobre a escola filosófica da cidade de Eléia, nos séculos posteriores, que se tornaria célebre por grandes filósofos como Parmênides e Zenão.