Topo

Educação

Vestibular


Enem 2015: 7 escolas pobres com notas melhores que a de colégios ricos

Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

05/10/2016 06h00

Sete colégios que recebem estudantes pobres tiveram desempenho melhor no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2015 por Escola do que instituições com alunos de alta renda.

O feito contraria as expectativas e indica unidades que conseguem fazer seus alunos superarem muitas barreiras. Os estudantes dessas escolas têm pais que não fizeram o ensino médio e com renda familiar de, no máximo, 1,5 salário mínimo (R$ 1.320).

Apesar disso, essas cinco escolas públicas e duas particulares tiveram resultado maior que a média das escolas com alunos de renda alta (acima de 5 salários mínimos -- R$ 4.400). O desempenho médio entre as mais ricas foi de 535,56 pontos. 

Por que é mais difícil para as mais pobres?

Uma das variáveis que influencia o aprendizado dos alunos é a questão socioeconômica. Alunos mais ricos tendem a ter resultados melhores e, consequentemente, melhoram as médias das escolas em que estudam, explicam especialistas da área de educação. 

“O aluno pobre tem capacidade, mas se ele não teve frequentemente as mesmas oportunidades dos mais ricos, fica mais difícil para ele ter melhores resultados”, explica Francisco Soares, ex-presidente do Inep e pesquisador da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). 

Soares explica que a desigualdade social brasileira reflete nos resultados da educação.

“Aquele que vem de uma família pobre e que não possui nenhum repertório escolar tende a ter o resultado pior do que o estudante igualmente pobre que possui familiares que estudaram”, acrescenta Juarez Dayrell, professor da Faculdade de Educação da UFMG.

Cinco destaques no Nordeste

Das sete escolas, a nota mais alta foi a do colégio particular Patronato Tenente Ângelo de Siqueira Passos, localizado no Ceará. A instituição conseguiu uma média de 556,05. 

A segunda colocação ficou com a escola estadual Ensino Médio Augustinho Brandão, no Piauí, com 554,84. Ela foi classificada com o nível socioeconômico mais baixo das sete, faixa que reúne alunos com renda familiar mensal de até um salário mínimo.

Na outra ponta aparece a escola rural professora Maria Marcilia Rezende, em Minas Gerais, que registrou média de 537,51.

Como o cálculo foi feito

Para fazer a comparação, o UOL calculou a média da nota das provas de matemática, linguagens, ciências humanas e ciências naturais no Enem 2015 das escolas com alunos pobres (classificados como de nível socioeconômico muito baixo, baixo ou médio baixo pelo Inep) e daquelas com alunos de classes com melhores condições financeiras (nível socioeconômico médio alto, alto e muito alto).

Escolas de nível muito baixo, baixo e médio-baixo reúnem, em geral, alunos com renda familiar de até 1,5 salário mínimo (R$ 1.320) e os pais não chegaram ao ensino médio. Já as escolas de nível socioeconômico alto e muito alto têm estudantes com renda familiar acima de 5 salários mínimos (R$4.400) e pais que completaram o ensino médio e até fizeram faculdade.

Confira o ranking:

1º PATRONATO TENENTE ANGELO DE SIQUEIRA (Viçosa do Ceará/CE)

Média: 556,05
Rede: Privada
NSE*: Médio Baixo
Total de alunos: 15/ Alunos participantes: 12
Índice de permanência no ensino médio: 80% ou mais

2º ENSINO MÉDIO AUGUSTINHO BRANDÃO (Cocal dos Alves/PI)

Média: 554,84
Rede: Estadual
NSE*: Baixo
Total de alunos: 23/ Alunos participantes: 20
Índice de permanência no ensino médio: 80% ou mais

3º COLÉGIO ESTADUAL CHICO ANYSIO (Rio de Janeiro/RJ)

Média: 554,05
Rede: Estadual
NSE*: Médio baixo
Total de alunos: 49/ Alunos participantes: 47
Índice de permanência no ensino médio: 80% ou mais

4º ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFISSIONAL DESEMBARGADOR PEDRO RIBEIRO DE ARAÚJO BITTENCOUT (Irecê/BA)

Média: 542,39
Rede: Privada
NSE*: Médio baixo
Total de alunos: 72/ Alunos participantes: 69
Índice de permanência no ensino médio: 80% ou mais

5º INSTITUTO FEDERAL BAIANO – Campus Senhor do Bonfim (Senhor do Bonfim/BA)

Média: 540,74
Rede: Federal
NSE*: Médio baixo
Total de alunos: 121/ Alunos participantes: 118
Índice de permanência no ensino médio: 80% ou mais

INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS - Campus Penedo (Penedo/AL)

Média: 540,27
Rede: Federal
NSE*: Médio baixo
Total de alunos: 81/ Alunos participantes: 64
Índice de permanência no ensino médio: 60% ou 80%

7º ESCOLA MUNICIPAL PROFESSORA MARIA MARCILIA REZENDE (Lagoa Dourada/MG)

Média: 537,51
Rede: Municipal
NSE*: Médio baixo
Total de alunos: 25/ Alunos participantes: 18
Índice de permanência no ensino médio: 80% ou mais

*A sigla NSE representa o nível socioeconômico dos estudantes. O cálculo desse indicador foi feito a partir das informações fornecidas pelos próprios alunos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Vestibular