Topo

Vestibular

Sistema de correção do Enem que diferencia questões fáceis de difíceis é democrático, diz professor

Do UOL, em São Paulo

13/11/2017 09h07Atualizada em 13/11/2017 13h17

Mesmo sabendo quantas respostas acertou, os candidatos que fizeram o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) neste ano não têm como calcular sua nota final, que só será divulgada em janeiro de 2018.

Isso porque o Enem utiliza como forma de correção a TRI (Teoria de Resposta ao Item), um processo que atribui diferentes pesos a cada questão e tenta evitar que candidatos que chutaram respostas se saiam bem.

Veja também

A TRI funciona de acordo com o percentual de erros e acertos dos candidatos em cada questão da prova. Aquela questão que for acertada por muitos candidatos é considerada fácil e, portanto, vale menos pontos.

Além disso, a TRI seria capaz de perceber quando a resposta do candidato não é compatível com seus erros e acertos nas demais questões. Por isso, quando um candidato chuta uma questão no Enem, sua nota pode diminuir.

Para Ocimar Alavarse, professor da Faculdade de Educação da USP (Universidade de São Paulo), esses pontos fazem com que a TRI seja uma forma de avaliação “democrática”.

“O cálculo da nota do aluno não é simplesmente a quantidade de acertos. É claro que a quantidade de acertos pesa, mas na verdade é a quantidade do tipo de item que o aluno acertou”, destaca.

“A Teoria da Resposta ao Item procura equilibrar entre aquilo que teria sido um acerto por um chute e um erro por um descuido. Então, se o aluno errou muitas questões fáceis e acerta uma difícil, é provável que essa difícil tenha sido fruto de um acerto ao acaso”, explica o professor.

Ele destaca que, por isso, a TRI beneficia o aluno que chegou ao Enem mais bem preparado, e não aquele que teve sorte chutando as respostas das questões.

“Os softwares que processam a prova buscam uma coerência nessas respostas [dadas pelo candidato]”, explica.

O gabarito oficial dos dois dias de prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que aconteceu nos dias 5 e 12 de novembro, só será divulgado no próximo dia 16. As notas dos candidatos estão previstas para janeiro.

Opinião: Enem dialoga com currículo escolar, mas não cura injustiça social

UOL Notícias

CONFIRA O GABARITO EXTRAOFICIAL DESTE DOMINGO (12)




Mais Vestibular