PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
11 meses

Bolsonaro diz que Terra tem 271 átomos; por que ele está errado?

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), disse hoje, em conversa com apoiadores, que a Terra tem 271 átomos - Adriano Machado/Reuters
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), disse hoje, em conversa com apoiadores, que a Terra tem 271 átomos Imagem: Adriano Machado/Reuters

Rayanne Albuquerque

Do UOL, em São Paulo

09/07/2021 13h46Atualizada em 09/07/2021 21h36

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou na manhã de hoje, em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, que a Terra tem 271 átomos.

A declaração foi feita para ilustrar a disputa eleitoral entre a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e o deputado Aécio Neves (PSDB), em que Bolsonaro afirma, sem apresentar provas, que houve fraude eleitoral.

Começou o Aécio Neves lá em cima e a Dilma lá em baixo e com o tempo essas curvas foram se cruzando, até que se estabilizaram na horizontal com a Dilma na frente. Agora o minuto a minuto, por 271 vezes, dá pra imaginar, dá 4 horas e pouco, depois que as curvas se tocaram, ou melhor, momentos antes das curvas se tocarem, era: 'Dilma ganhou, Aécio ganhou, Dilma ganhou, Aécio ganhou'. É você jogar uma moeda 271 vezes para cima e dar cara e coroa. Isso deve ser a quantidade de átomos aqui na terra. Então, isso é fraude, é roubalheira
Jair Bolsonaro, presidente do Brasil

A afirmativa de Bolsonaro sobre a quantidade de átomos existentes na Terra passa longe da realidade. Em primeiro lugar, o átomo é a unidade básica da matéria, que consiste em um núcleo central de carga elétrica positiva, envolvido por uma nuvem de elétrons de carga negativa. Esse núcleo é composto por prótons e por nêutrons e se ligam ao núcleo por força magnética.

Dentro de uma única célula humana há 23 pares de cromossomos em seu núcleo, sendo cada um deles uma única e longa molécula de DNA. Nesse pequeno compartimento de vida, o cromossomo 1 é o maior deles e contém cerca de 10 bilhões de átomos para codificar toda a informação da molécula.

Apenas uma célula supera em milhares de vezes o número de átomos da Terra dito pelo presidente Bolsonaro

Indo mais adiante a nível de proporção e quantidades de átomos, o corpo de um adulto com 70 kg possui, aproximadamente, 7 octilhões de átomos — ou seja, 7.000.000.000.000.000.000.000.000.000. Uma pessoa maior conteria mais átomos, assim como uma pessoa menor poderia ter menos átomos.

Se pararmos para pensar na proporção da Terra, que tem com massa 5.972.000.000.000.000.000.000.000 kg, a quantidade aproximada na superfície terrestre é de 133.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000, segundo o departamento de energia norte-americano Jefferson Lab.

271 átomos como exemplo não é "universo possível"

O professor titular do Instituto de Química da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Julio Carlos Afonso, explica ao UOL que todos átomos que existem na natureza podem ser subdivididos em 118 grupos, correspondendo aos elementos conhecidos na tabela periódica.

Segundo Afonso, o exemplo utilizado pelo presidente Bolsonaro para ilustrar suposições sobre a corrida eleitoral de 2014 não é um "universo possível".

O átomo não seria uma base adequada de comparação para tentar justificar ou explicar, de forma didática, a alternância de uma votação, como acontece com o 'cara e coroa'. O átomo é uma entidade tão pequena, invisível a olho nu, que são necessárias quantidades fabulosas de átomos para que se possa formar os objetos que podemos ver a olho nu
Julio Carlos Afonso, professor titular da UFRJ

Em linhas finas, os átomos formam os elementos da tabela periódica, que se subdividem em 92 elementos naturais e 26 sintéticos — metais e não metais. São esses elementos que, combinados entre si, formam uma infinidade de substâncias conhecidas no planeta Terra,c omo a água, o oxigênio e a sacarose — o açúcar de cozinha, comum.

Ainda de acordo com Julio Carlos Afonso, estima-se que existam 13 milhões de substâncias naturais e sintéticas fruto dessas combinações de elementos.

Dessa forma, 271 átomos não é um universo possível para fazer uma espécie de alternância. Ele [Bolsonaro] poderia usar como exemplo os elementos da tabela periódica; alternar metais e não metais. Ele conseguiria fazer isso 118 vezes. Em todo caso, o conceito de átomo é muito mais significativo do que contar 271 vezes
Julio Carlos Afonso, professor titular da UFRJ

Fala sobre átomos da Terra viralizou nas redes

Após as declarações de Bolsonaro, internautas viralizaram o trecho do vídeo em que o presidente usa a explicação química para sustentar seu argumento de que houve fraude nas eleições de 2014.

O empresário Felipe Neto classificou o presidente como o "mais burro da história do planeta".

"Pode rir", disse o youtuber.

Já o senador Humberto Costa (PT-PE) afirmou que, acada pesquisa, Bolsonaro "inventa uma nova fakenews".

O ator Bruno Gagliasso, que tem se posicionado nas redes sociais contra a gestão federal, também comentou sobre as declarações do presidente.

"A fraude tá no TSE, cara coroa cara coroa, as curvas se cruzam, 271 minutos, 271 vezes, quase a quantidade de átomos na terra", disse o artista.