Câmara recua e desiste de apresentar proposta de novo Enem

A mudança do Enem ficará a cargo do Ministério da Educação, segundo o deputado federal Mendonça Filho (União-PE), que é relator do projeto do novo ensino médio.

O que aconteceu

A decisão foi tomada após reunião com o MEC nesta quinta-feira (7). A pedido do ministério, o deputado afirmou que vai retirar a menção ao Enem do projeto de lei do ensino médio.

Mendonça trabalhava com a ideia de ter uma prova para avaliar as disciplinas tradicionais, como matemática e português, e uma outra sobre habilidades específicas. O relator considerava, inclusive, manter um dia apenas para aplicação do exame.

O deputado afirmou ao UOL que a decisão de manter o exame com o MEC é "legítima". "Isso demonstra nossa disposição de negociação, que é permanente", disse.

O Enem é a principal porta de entrada para o ensino superior e enfrenta uma diminuição no número de inscritos desde o governo Jair Bolsonaro (PL). A gestão Lula (PT) promete medidas para reverter a situação.

Ensino médio em discussão

Depois de pedidos pela revogação do novo ensino médio, o tema foi aberto para consulta pública e o governo Lula entregou um projeto ao Congresso. Mendonça foi escolhido como relator e já se movimenta para alterar as mudanças feitas pelo MEC.

Entre elas está reduzir para 2.100 horas o tempo dedicado às disciplinas tradicionais, como matemática e português. O ministério havia proposto 2.400 horas.

Continua após a publicidade

O deputado também quer retirar a obrigatoriedade do ensino de língua espanhola —que foi defendida pelo governo. As alterações vão ao encontro do desejo do Consed, conselho que reúne secretários estaduais de Educação.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes