Ensino superior privado deve crescer menos que o esperado em 2017

São Paulo - O Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp) revisou para baixo as suas estimativas para o crescimento das matrículas no ensino privado. A entidade considerou que houve uma queda na procura e agora projeta que o ingresso de novos alunos no ensino presencial deverá crescer apenas 0,6% em 2017, ante uma projeção feita em novembro de 1,1% de alta.

O Índice Semesp de Ingressantes Presencial é atualizado mensalmente com base em dados de mercado e monitoramento da procura de estudantes por cursos de ensino superior. O Semesp acredita que, em 2016, o número de ingressantes tenha caído 2,6%. Dados oficiais para 2016 só devem ser divulgados no segundo semestre deste ano pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A entidade também revisou sua previsão para a totalidade das matrículas no ensino presencial, o que inclui não só alunos calouros, mas também veteranos. A expectativa é de crescimento de 0,4% em 2017, ante uma previsão anterior de 0,7%.

Ensino a distância

A perspectiva é mais positiva para os cursos de ensino a distância. Segundo o Semesp, essa modalidade de curso ainda tem tido aumento na procura por estudantes.

A expectativa é de que o número de novos alunos no ensino a distância cresça 3,8% em 2017. As matrículas como um todo, incluindo veteranos, devem subir 3,1% em 2017.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos