Expansão islâmica: Muçulmanos dominaram península Ibérica

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

Na entrevista que segue, com o escritor e historiador Mustafa Yazbek, estudioso dos povos árabes, você vai conhecer a origem e a história do islamismo durante a Idade Média, bem como a herança e as marcas que essa civilização deixou no Ocidente, em especial na península Ibérica.

Em relação a outras religiões o islamismo é uma religião recente? Quando ele surgiu?

Ele surgiu no século 7 da era cristã. Trata-se de uma religião nova, pelo menos em comparação com outras, como o cristianismo, o judaísmo ou o budismo. Tudo começou com as pregações de Maomé, que nasceu no ano de 570, perto da cidade de Meca, na Arábia.

Quem era ou quem foi Maomé?

Era um homem pertencente a uma família tradicional da cidade, mas cuja situação era economicamente instável. Desde pequeno, Maomé acostumou-se a percorrer várias regiões do Oriente Médio, viajando em caravanas. Conheceu a Síria, a Pérsia, a Palestina, sempre mantendo contato com povos seguidores do cristianismo e do judaísmo, aprendendo tudo o que podia a respeito dessas religiões monoteístas. Com 24 anos de idade, conheceu uma viúva, uma comerciante rica chamada Khadidja, com quem se casou. Poucos anos após essa união, Maomé começou a apresentar sérias mudanças de comportamento. Sofria crises de tremores, dores de cabeça, entrava frequentemente em transe.

Ou seja, Maomé passou por uma experiência mística. Como foi essa experiência de acordo com a tradição islâmica?

Durante anos, Maomé viveu assim, meditando e passando por essas crises que ninguém explicava. Quando ele tinha quase 40 anos de idade, disse ter recebido a visita do arcanjo Gabriel e que este lhe havia declarado: "Sou o arcanjo Gabriel, enviado por Deus para comunicar tua escolha, por esse mesmo Deus, para anunciar ao mundo suas mensagens". A partir de então, seguidamente, Maomé dizia receber mensagens, ouvir vozes. Aos poucos, recolhia essas informações com ajuda de amigos e parentes, compondo posteriormente o Alcorão, o livro sagrado dos muçulmanos.

Qual o conteúdo dessas mensagens?

Basicamente, o conteúdo das mensagens dizia respeito ao anúncio de uma única religião verdadeira, voltada para um único Deus, contrária à idolatria, ao paganismo que predominava entre as principais tribos que habitavam a Arábia. Maomé foi perseguido, pois sua pregação ameaçava poderes tradicionais, e refugiou-se na cidade de Iatribe (de pois chamada de Medina). Essa fuga, conhecida como Hégira (fuga ou expatriação), aconteceu no ano de 622 e marca o início do calendário lunar islâmico.

O que essa religião representou para os árabes?

Maomé e seus seguidores conseguiram, com a nova religião, dar início à unificação das tribos árabes. Fortalecido por seguidas vi tórias políticas e militares, Maomé conquistou a cidade de Meca. Manteve o centro religioso local, o templo pagão da Caaba, como símbolo da unidade religiosa, mas antes destruiu todos os ídolos ali existentes. Depois de sua morte, ocorrida no ano de 632, o islamismo teria como líderes os chamados califas (palavra que significa "sucessor").

A partir daí a expansão do islamismo foi rápida?

Rapidamente, após a unificação das tribos árabes, o islamismo, expandiu-se em todas as direções. Em poucas décadas, ocupou uma extensão de terra somente comparável ao Império romano em seu auge. Assumiria logo o papel de agente de ligação comercial entre áreas economicamente importantes do mundo de então: na Europa, na África e na Ásia. O progresso militar atingido pelos muçulmanos permitiu-lhes isolar a Europa, bloqueando o comércio especial mente através do controle do mar Mediterrâneo. Para muitos historiadores, isso acentuou uma tendência já existente desde o século 5, voltada para a vida agrária, e que conduziria a Europa ao feudalismo.

Ninguém conseguiu conter o avanço islâmico?

Não houve força capaz de deter o avanço expansionista islâmico. O Império persa e o Império bizantino estavam enfraquecidos por um longo confronto entre si. Na Europa não havia poder algum em condições de derrotar definitivamente os seguidores de Maomé, embora a expansão tenha sido contida ali, em 732, pelos francos, na localidade de Poitiers, França.

Mesmo assim, eles conquistaram a península Ibérica...

Em menos de um século, já haviam sido dominados aqueles os impérios persa e bizantino, além da maior parte do norte da África e da península Ibérica. Somente nesta última região, os muçulmanos permaneceriam por cerca de oito séculos. Quando invadiram a península, no ano de 711, empurraram a monarquia visigoda rumo ao norte, onde se concentraria a resistência aos invasores durante os séculos seguintes. Estes somente seriam expulsos definitivamente pelos reis cristãos no século 15.

Quais as causas de uma expansão tão rápida?

A numerosa população árabe, a expectativa de alcançar bons resultados nos saques e a proposta de conversão dos infiéis ao islamismo, à verdadeira religião, estão entre as principais razões que permitiram uma expansão tão rápida.

Fale um pouco sobre a ocupação da Espanha...

Ocupando território espanhol, conhecido então corno Al Andalus, os muçulmanos controlaram as terras dos reis visigodos e da Igreja. Obrigavam os camponeses a pagar um terço da produção. Ao mesmo tempo introduziram inovadoras técnicas agrícolas, que beneficiaram os agricultores. Desenvolveram as atividades comerciais. Cunharam moedas. Exploraram minérios. Construíram estradas e aproveitaram aquelas existentes desde o do mínio romano. Edificaram cidades que foram autênticos símbolos da opulência da civilização urbana andaluza, como Sevilha, Córdoba e Toledo.

Foi um momento de auge na expansão islâmica?

Sem dúvida, o apogeu do islamismo ocidental foi vivido em território espanhol e desmoronou com a Reconquista cristã, concluída no ano de 1492. No entanto, a contribuição deixada pela civilização do Islão representa uma herança que continuou depois disso a beneficiar toda a humanidade.

Quais as marcas ali deixadas por uma ocupação tão duradoura?

A longa permanência dos conquistadores muçulmanos deixaria marcas definitivas no Ocidente, e nesse aspecto o papel da Espanha foi o de ser a principal área intermediária. A cultura muçulmana no Ocidente agiu como uma força sintetizadora, levando para as regiões conquistadas o que havia de mais importante em todos os centros da atividade humana, o que havia de mais significativo no conhecimento de chineses, indianos e gregos. Traduzindo as obras dos mais importantes autores da Antiguidade clássica, os muçulmanos transferiam para o Ocidente o conhecimento acumulado durante séculos.

Cite algumas contribuições culturais dos muçulmanos na Espanha.

Eles contribuíram para o desenvolvimento da cartografia e da astronomia, da química e da medicina, da indústria e do comércio, da arquitetura e da matemática, da filosofia e da literatura. Introduziram no Ocidente os algarismos hindus (hoje chamados arábicos). Desenvolveram a álgebra e a astronomia. Imortalizaram nomes como o do médico e filósofo Averróis, comentarista da obra de Aristóteles. Como o também do médico e filósofo Avicena, que teve sua obra enciclopédica, chamada "Cânon", utilizada durante muito tempo nas escolas europeias de medicina. Como o historiador Ibn Khaldun, que muitos veem como precursor da abordagem científica da vida social. Como o sábio Al Biruni, que se dedicou a praticamente todas as disciplinas científicas de seu tempo.

Disso tudo pode se concluir que o islamismo, naquela época, foi muito mais que uma religião?

Mais do que simplesmente uma religião, o islamismo pode ser definido como uma civilização, um movimento ao mesmo tempo político, religioso, econômico e social, que, a uma velocidade extraordinária - tanto em termos de tempo quanto de espaço -, se expandiu pelo mundo, O Islão começou com os árabes, mas não se limitaria a eles. Em pouco tempo, os árabes seriam um entre os vários povos formadores da civilização islâmica, ao lado de andaluzes, iraquianos, berberes, iranianos, turcos, sírios, além de outros.

Veja também

Islamismo: o monoteísmo entre os árabes

Islamismo: o Império árabe



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos