PUBLICIDADE
Topo

Jean-Baptiste Colbert Estadista francês

29 de agosto de 1619, Reims (França)</p><p>6 de setembro de 1683, Paris (França)<p>

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

09/11/2009 21h37

Filho de um comerciante, Jean-Baptiste Colbert permaneceu em completa obscuridade até 1649, quando começa a trabalhar com o chanceler Michel Le Tellier, que, dois anos depois, apresenta-o ao cardeal Mazarin. Este, por sua vez, faz de Colbert seu secretário particular.

Excelente administrador dos bens do cardeal, Mazarin o recomenda, em seu testamento, ao rei Luís 14, que transforma Colbert em seu homem de confiança.

Responsável pela administração dos negócios da França e dos bens particulares do rei, Colbert incorpora ao Estado a Superintendência das Construções e Manufaturas, submetendo, em 1665, toda a economia do país ao controle estatal.

Mercantilismo

Colbert propiciou a acumulação de bens preciosos, proibindo a exportação de capital e estimulando a exportação de bens manufaturados, impondo, ao mesmo tempo, altas tarifas a seus similares estrangeiros. Proporcionou, assim, incentivos substanciais ao setor manufatureiro, contemplando as corporações com elevados subsídios e privilégios fiscais.

A fim de incrementar a venda de manufaturados, estimulou o desenvolvimento da marinha mercante e ampliou o mercado internacional por meio da política colonialista: comprou as ilhas de Guadalupe e Martinica, nas Antilhas, apoiou o estabelecimento de colônias em São Domingos, Luisiana e Canadá, e fundou entrepostos na África e na Índia.

Introdutor do mercantilismo na França, Colbert favoreceu não apenas sua classe social, a burguesia, mas principalmente o Estado, concentrando riqueza e poder nas mãos governamentais.

Colbert foi também secretário de Estado da Casa do Rei e secretário de Estado da Marinha. Em seus últimos anos de vida, mostrava-se, contudo, desiludido, pois suas reformas estavam ameaçadas pelas guerras a que Luís 16 se deixara conduzir.

Fonte: Enciclopédia Mirador Internacional