PUBLICIDADE
Topo

Louis Antoine Léon de Saint-Just Político e revolucionário francês

25/08/1767, Decize (Nièvre), França

27/07/1794, Paris, França

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

14/07/2006 16h34

Atualizado em 27/11/2012, às 8h56.

Nenhum francês deveria viver em estado de incerteza e de miséria. Essa frase é atribuída a Louis Antoine Léon de Saint-Just, um dos participantes do grupo político A Montanha, formado na Convenção Nacional Francesa e que foi responsável pela instalação do regime do terror jacobino durante a Revolução Francesa.

Saint-Just nasceu na cidade de Decize (Nièvre) em 25 de agosto de 1767 e cursou direito na Universidade de Reims. Em 1789 publicou um poema cínico chamado "Órgant" em que fazia uma crítica à monarquia e à igreja e encontrava-se em Paris em 1789 quando eclodiu a Revolução Francesa.

Apesar de sua pouca idade, tornou-se um dos líderes mais radicais da revolução. Muito jovem para ser eleito para a Assembleia Legislativa, Saint-Just ficou conhecido pela publicação do livro "O Espírito da Revolução e da Constituição da França", no qual defende a instituição de uma monarquia constitucionalista. Essa opinião, no entanto, logo ficou ultrapassada pelo curso dos acontecimentos que tomava a revolução e o consequente governo republicano. Em 1792 foi eleito deputado pelo departamento de Aisne na Convenção Nacional, e se destacou com um dos principais oradores tanto no processo estabelecido contra Luis XVI como durante a redação da Constituição que estava sendo elaborada.

Em maio de 1793 foi eleito membro do Comitê de Salvação Pública. Ajudou a desenvolver as bases teóricas do governo revolucionário e propôs algumas das medidas mais violentas contra os inimigos do movimento revolucionário. Talvez por isso, tenha sido chamado de o “Arcanjo do Terror”. No outono do mesmo ano empreendeu diversas missões como representante do povo junto do exército do Reno e, no ano seguinte, junto do exército do norte, onde demonstrou seu talento de organizador. Em meados de 1794 foi encarregado de “supervisionar os exércitos da República, desde o mar até o Reno”.

Figurando como um dos protótipos da rebeldia de sua época, o caráter complexo de Saint-Just ora o revela como um monstro de orgulho e crueldade, ora como um patriota extremado que deu sua vida pelos ideais da revolução. Mas o que fica de sua biografia é a figura de um jovem que não se furtou a ser protagonista num dos momentos mais marcantes da história de seu país.

Influenciado pelas ideias de Montesquieu, abaixou o tom de suas críticas e sonhou com uma democracia igualitária sem pobres nem ricos, no âmbito de uma República virtuosa. Foi um dos principais companheiros de Robespierre, a quem acompanhou até o fim. Quando os excessos do Terror começaram a ser denunciados e contidos, os dois foram guilhotinados nos últimos dias de julho de 1794.

Veja errata.