Artes

Barroco (3): A escultura de Aleijadinho e outros nomes

Valéria Peixoto de Alencar*
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Quem produzia as esculturas, frisos e entalhes barrocos das igrejas, normalmente, eram os escravos que trabalhavam em oficinas.

Eles dominavam a metalurgia, a fabricação de cerâmica e a escultura em madeira.

O fato de serem escravos os impediu de alcançar a fama. Mas há uma grande exceção: Antônio Francisco Lisboa ou o Aleijadinho.

Pela participação de escravos e índios, o barroco é considerado, por muitos historiadores da arte, a primeira manifestação artística e cultural genuinamente brasileira.


Artistas do barroco brasileiro
 

  • O Aleijadinho (1738-1814)
    Antônio Francisco Lisboa nasceu em Ouro Preto. Seu pai era arquiteto e sua mãe era escrava. Aprendeu seu ofício trabalhando com o pai e observando pintores e escultores. O apelido deve-se ao fato de ter adoecido( não se sabe, ao certo, se porfiria, lepra, escorbuto ou sífilis), por volta dos 40 anos, ficando com as pernas e mãos deformados. Como não podia mais se locomover, ele era carregado por dois escravos que amarravam, em suas mãos, os instrumentos de que necessitava para esculpir. Usava preferencialmente madeira e pedra-sabão em suas esculturas.
     
  • Manuel da Costa Ataíde (Mestre Ataíde)
    Nasceu em Mariana, em 1762, e morreu em 1830. Foi considerado um dos mais importantes pintores do Barroco no Brasil e influenciou muitos outros até o século 19. Sua maior obra está na Igreja da Ordem Terceira de São Francisco.

Valéria Peixoto de Alencar*
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação *Valéria Peixoto de Alencar é historiadora formada pela USP e cursa o mestrado em Artes no Instituto de Artes da Unesp.

UOL Cursos Online

Todos os cursos