Artes

Bauhaus: Integração entre arte e indústria

Valéria Peixoto de Alencar*
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Staatliches Bauhaus é o nome da escola de artes criada por Walter Gropius, em Weimar, Alemanha, em 1919. A Bauhaus (casa da construção) foi transferida para Dessau em 1926 e para Berlim em 1933. E lá ficou até 1934, quando foi fechada por Hitler, sob a acusação de ser um reduto comunista.

Fundada e dirigida por arquitetos, a Bauhaus foi realmente inovadora. Ela nasceu da união da Academia de Belas Artes com a Escola de Artes Aplicadas de Weimar, com a intenção clara de integrar arte e indústria e acabar com a distinção entre artesãos e artistas.

Segundo as palavras de seu criador, Walter Gropius, o objetivo era criar "uma nova guilda de artesãos, sem as distinções de classe que erguem uma barreira de arrogância entre o artista e o artesão". Assim, é considerada a primeira escola de design do mundo.



Arte e princípios racionais

A Bauhaus tinha uma preocupação estética, social e política, pois pretendia formar novas gerações de artistas, de acordo com o ideal de uma democracia na qual não existiriam hierarquias, mas somente funções complementares.

O trabalho conjunto, na escola e na vida, possibilitaria não apenas o desenvolvimento das consciências criadoras e das habilidades manuais, como também um contato efetivo com a sociedade urbano-industrial moderna e seus novos meios de produção.

Todos os alunos recebiam aulas de marcenaria, pintura, escultura e tipografia, trabalhando com vários materiais. Não se ensinava história na Bauhaus durante os primeiros anos de aprendizado, porque se acreditava que tudo deveria ser criado por princípios racionais, ao invés de obedecer a padrões herdados do passado. Só após três ou quatro anos de estudo o aluno tinha aulas de história.

Seguindo os movimentos de vanguarda nas artes visuais, a escola também valorizava a simplificação das formas e a utilização de novos materiais. Observe, por exemplo, esta cadeira:



Reprodução

A cadeira Wassily é do designer Marcel Breuer, que fez parte da primeira geração de formandos da Bauhaus. Posteriormente, ele se tornou professor da escola. O nome da cadeira faz referência a Wassily Kandinsky, também professor e artista (a cadeira teria sido elaborada para a sala de estar de Kandinsky). É uma peça inovadora quanto ao material (tubos de aço e lona) e ao desenho.

Além de Gropius (1883-1969), Marcel Breuer (1902-1981) e Kandinsky (1866-1944), outro artista muito conhecido que atuou como professor da escola foi Paul Klee (1879-1940).

Valéria Peixoto de Alencar*
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação *Valéria Peixoto de Alencar é historiadora formada pela USP e mestre em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Unesp. É uma das autoras do livro Arte-educação: experiências, questões e possibilidades (Editora Expressão e Arte).

UOL Cursos Online

Todos os cursos