PUBLICIDADE
Topo

Biologia

Cavernas - Fauna da caverna conta com morcegos e animais troglóbios

Alice Dantas Brites

As cavernas são ambientes subterrâneos e naturais que ocorrem principalmente em terrenos rochosos. Elas são formadas a partir de diversos processos geológicos e químicos, como a erosão das rochas pela água das chuvas e dos rios, o vulcanismo e os terremotos. Chamamos de meio epígeo o ambiente externo à caverna e de hipógeo, ou cavernícola, o meio subterrâneo.

  • A entrada de uma caverna

O interior das cavernas pode ser dividido em três zonas. Primeiro, a zona de entrada, situada próxima à abertura da caverna, na qual as características climáticas são semelhantes às do meio externo e onde os raios de luz incidem diretamente.

Depois, a zona de penumbra, que corresponde à região na qual a luz incide de forma indireta e as temperaturas começam a se tornar mais amenas, ao mesmo tempo em que a umidade aumenta. Por último, temos a zona afótica, caracterizada pela ausência de luz, baixas temperaturas e umidade relativa do ar próxima de 100%.

Vivendo no escuro

A escuridão da zona afótica acarreta algumas peculiaridades ao ambiente cavernícola, tais como a ausência de organismos fotossintetizantes, ausência de estímulos visuais e ausência de fotoperíodos (ciclos biológicos regidos pela alternância de períodos claros e escuros).

Se não existem organismos fotossintetizantes na zona afótica, de onde vem o alimento necessário à vida dos animais que habitam essa área das cavernas? Uma parte mínima da energia é fornecida por bactérias quimiossintetizantes, organismos capazes de sintetizar substâncias orgânicas a partir da energia fornecida por reações químicas, mesmo na ausência de luz.

Porém, a maior parte dos nutrientes é importada do meio externo, chegando ao ambiente cavernícola através de rios subterrâneos, da água da chuva que consegue penetrar no meio hipógeo, de animais que entram acidentalmente nas cavernas e acabam por morrer em seu interior e das raízes de plantas situadas no meio externo. Outra fonte de alimento é a matéria orgânica presente nas fezes de espécies frugívoras que habitam as cavernas, como os morcegos. Esse material é chamado de guano.

A fauna das cavernas pode ser dividida em três grupos: trogloxenos, troglófilos e troglóbios. A classificação é feita de acordo com o uso que o animal faz desse ambiente.

Morcegos

Os trogloxenos são animais que utilizam as cavernas como locais de abrigo, reprodução ou alimentação, mas que dependem de saídas periódicas ao meio epígeo para completar seus ciclos de vida. Exemplos de trogloxenos são os morcegos, algumas espécies de roedores e serpentes.

Troglófilos são os animais que podem viver tanto no meio hipógeo quanto no meio epígeo. Entre estes animais podemos citar alguns moluscos gastrópodes, insetos e pequenos crustáceos.

Os troglóbios são animais restritos ao meio subterrâneo, incapazes de completar seus ciclos de vida fora das cavernas. Dentre estes, podemos citar algumas espécies de peixes como os lambaris, anelídeos, insetos, crustáceos e aracnídeos.

Características dos animais troglóbios

Uma das principais características que pode ser encontrada nos troglóbios, e que está relacionada a sua adaptação à vida no meio subterrâneo, é a redução ou mesmo ausência de olhos. A ausência da visão é compensada pela presença de órgãos quimio, mecano ou eletrorreceptores que auxiliam o animal na percepção do ambiente. Outras características dos troglóbios são: redução ou ausência de pigmentação, baixo metabolismo e crescimento lento.

Os troglóbios também apresentam algumas diferenças comportamentais, quando comparados a seus parentes que vivem no meio epígeo. Essas diferenças são mais conhecidas para os peixes cavernícolas. No interior das cavernas, os peixes ocupam o topo da cadeia alimentar, ou seja, não possuem predadores.

A falta da pressão seletiva representada pela predação levou a uma redução do comportamento agressivo e também a uma regressão do hábito de nadar em cardumes, estratégia normalmente utilizada pelos peixes para confundir seus predadores.

A fauna cavernícola é formada por populações pequenas e que estão intimamente relacionadas ao meio hipógeo. Possuem baixa tolerância a perturbações causadas pelo homem, tais como: poluição, turismo excessivo nas cavernas e mineração. Por isso, a adoção de medidas de proteção, tanto das áreas subterrâneas como de seus entornos, é muito importante para a conservação dessa fauna tão rica e particular que habita as profundezas da terra.

Biologia