História geral

Revolução Russa - Desdobramentos: Revolução de Fevereiro e Revolução de Outubro

Túlio Vilela, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Em 22 de fevereiro de 1917 (ou, no nosso calendário, 8 de março), greves e motins estouraram em Petrogrado (a antiga São Petersburgo, que tinha sido rebatizada logo no início da guerra, porque o nome "Petersburgo" soava alemão demais).

Dois dias depois, os soldados da Guarda Imperial juntaram-se aos revoltosos. A Duma (o Parlamento russo) formou então o primeiro governo provisório, presidido pelo príncipe Lvov, que garantiu a abdicação do czar Nicolau 2º> em 27 de fevereiro (15 de março no nosso calendário). Nicolau abdicou em favor do irmão, o grão-duque Miguel, e este, de sua parte, abdicaria no dia seguinte.
 

Sovietes

Enquanto isso, os bolcheviques reviviam os sovietes (conselhos populares que haviam surgido em 1905 e eram formados de camponeses e operários). Os soldados foram incitados a participar, o que colocou o Exército sob o controle dos sovietes, e não do governo provisório. Os sovietes passaram a opor-se a cada medida do governo provisório, especialmente depois que Lênin, o líder bolchevique, voltou do exílio e prometeu ao povo "Pão, Paz e Terra".

A primeira tentativa bolchevique de tomar o poder veio a fracassar (o que obrigou Lênin a esconder-se), mas o governo provisório se enfraqueceu ainda mais, pela insistência em manter a Rússia na guerra e pelos desentendimentos entre o novo primeiro-ministro, Kerenski, e o comandante-chefe do Exército, Larv G. Kornilov.



Outubro vermelho

Lênin liderou outra revolta contra o governo provisório, e os bolcheviques tomaram o Palácio de Inverno, assumindo o poder em 25 de outubro (7 de novembro no nosso calendário). Por isso, pode-se muito bem afirmar que a Revolução de Outubro foi, na verdade, um golpe de Estado. Os bolcheviques transferiram o controle das fábricas para os operários, proibiram o comércio particular e confiscaram as terras da Igreja e de todos que consideravam "contra-revolucionários".

No dia 5 de dezembro (a partir de agora, usaremos apenas o nosso calendário), estabeleceu-se o cessar-fogo entre o Exércitos russo e o alemão. Em 3 de março de 1918, os bolcheviques assinaram Tratado de Brest-Litovsk, um acordo de paz em separado com a Alemanha (ou seja, a Rússia abandonava seus antigos aliados e saía da guerra antes do final do conflito). Em 10 de março, a capital se transferiu de Petrogrado para Moscou. Em julho, aprovou-se a nova Constituição.

Também em julho, Nicolau 2º, a esposa, os cinco filhos (quatro meninas e um menino), três empregados e o médico da família foram executados pela Tcheka, a polícia secreta bolchevique. O objetivo era afastar qualquer possibilidade de volta da monarquia, o que implicava eliminar também os herdeiros da família real. (Os comunicados oficiais informaram a execução do czar, mas ocultaram a da família, afirmando que a czarina e os filhos "estavam em local seguro".)



Guerra Civil

No começo, a Revolução de Outubro foi recebida com apatia, mas as forças militares contra-revolucionárias começaram a articular-se em dezembro de 1917. Assim, iniciou-se uma guerra entre o "Exército Branco" (contra-revolucionário) e o "Exército Vermelho" (organizado por Trotsky, um dos principais líderes bolcheviques), assim chamado por causa das bandeiras vermelhas que, desde o século 19, simbolizavam o comunismo (algumas dessas bandeiras também traziam estampada a imagem de uma foice e um martelo, representando a união entre os trabalhadores do campo e das fábricas).

A guerra civil se entendeu por quase três anos. O Exército Branco recebeu apoio de potências estrangeiras (Inglaterra, EUA, Japão...) que temiam que a revolução se espalhasse pelo resto do mundo, mas acabou sendo derrotado pelo Exército Vermelho.

No final de 1921, Lênin foi afastado do poder, após um derrame que o deixou semiparalisado. (Ele morreria em 1924, e Petrogrado passaria a chamar-se Leningrado.) Em 1922, Stalin assumiu o cargo de secretário-geral do Partido Comunista; eram os primórdios do stalinismo, uma ditaduras mais cruéis do século 20.



URSS, ou União das Repúblicas Socialistas Soviéticas

O final do mesmo ano marcou o surgimento da União Soviética, ou, mais propriamente, da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). De início, ela era formada da Rússia, Ucrânia, Bielo-Rússia e Federação Transcaucasiana. Depois, foi acrescida de muitas outras "repúblicas" (na prática, estavam todas sob severo controle de Moscou e não tinham autonomia nenhuma).



O significado da Revolução Russa

De um lado, estão aqueles que consideram a Revolução Russa o acontecimento político mais importante do século 20, tendo levado ao nascimento da URSS, que veio a tornar-se uma superpotência militar, científica e tecnológica. Do outro lado, estão os críticos do regime instalado pela Revolução Russa, que se dividem em dois grupos: os que defendem o capitalismo e os que, mesmo sendo socialistas, condenam o tipo de socialismo implantado na URSS. Para os primeiros, o socialismo, tanto na teoria quanto na prática, é uma ameaça à democracia e à liberdade. Para os segundos, os soviéticos traíram e distorceram os ideais de um mundo justo e igualitário.



Túlio Vilela, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação é formado em história pela USP, é professor da rede pública do estado de São Paulo e um dos autores do livro Como Usar as Histórias em Quadrinhos na Sala de Aula (Editora Contexto).

UOL Cursos Online

Todos os cursos