Enem

10 semanas para o Enem: 10 dicas para encarar a reta final de estudos

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

  • iStock

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) está quase aí: contando a partir deste domingo (27), faltam 10 semanas para o primeiro dia de provas do exame, que neste ano será realizado nos dias 5 e 12 de novembro.

São pouco mais de dois meses até lá. O UOL conversou com professores que conhecem o dia a dia da preparação de alunos para a prova para saber: ainda dá tempo de correr atrás do prejuízo? Dá para aprender conteúdo novo? É melhor estudar o que já se sabe ou focar nos pontos fracos?

Então segura a ansiedade e vem conferir 10 dicas de sobrevivência para essa reta final de estudos:

Ricardo Matsukawa/UOL
Ricardo Matsukawa/UOL

Faça simulados a cada 15 dias

Além de se preocupar em estudar a teoria, agora é a hora de colocar em prática tudo o que você aprendeu ao longo do ano. A recomendação dos professores é que, a essa altura do campeonato, você faça simulados semana sim, semana não.

"O simulado serve para que o aluno treine a questão tipo Enem", destaca Vera Lúcia Antunes, coordenadora pedagógica do Objetivo.

Ela também recomenda que o aluno considere como simulados as provas antigas do Enem, dando preferência às dos últimos três anos. "Com isso, dá para ter noção dos temas que eles mais gostam de cobrar", afirma Vera.
gabarito
gabarito

Identifique seus pontos fracos --e vá com tudo para cima deles!

Focar em fazer essas provas, por outro lado, de nada adianta se você não se dedicar a outro detalhe: a correção.

"O aluno precisa ver o que ele erra. É até mais importante do que os acertos", afirma Wilton Ormundo, diretor do ensino médio do colégio Móbile. Ele dá a dica: "Na semana em que o aluno não estiver fazendo o simulado, ele pode focar em estudar o que percebeu que tem como ponto fraco".

Saray Azenha, diretora pedagógica do Oficina do Estudante, defende: "Não adianta ser fantástico em uma só área. O ideal é que o aluno ainda aprenda: com 10 semanas para a prova, dá tempo de correr atrás dos conteúdos que para ele são mais difíceis", afirma.

A professora Vera concorda: "O aluno precisa analisar --errou, tem que tirar dúvida. É possível aprender, ainda. Só não dá para deixar dúvidas".
Shutterstock
Shutterstock

Cronometre o tempo

O Enem é uma verdadeira maratona: no dia da prova, você vai ter uma média de 3 minutos para responder a cada uma das 90 questões objetivas.

Aproveite, então, para treinar sua resistência: tente contar quanto tempo você demora para fazer um simulado. Assim, você vai perceber por quanto tempo consegue manter o foco.

"O aluno que cronometra passa a ter segurança de que o tempo é suficiente para resolver a prova, apesar dela ser longa", afirma Saray.

"A resistência física é importantíssima para o candidato que está fazendo o Enem, e isso se adquire com treino. Quem não está acostumado a ficar tanto tempo sentado em uma cadeira resolvendo exercícios vai acabar perdendo muito para quem está", analisa Wilton.
Getty Images/iStockphoto/Yulia_Malinovskaya
Getty Images/iStockphoto/Yulia_Malinovskaya

Adote uma rotina de estudos

Manter o foco é um dos grandes desafios de quem está se preparando para o Enem. Por isso, é muito importante que você tenha uma rotina, com um número de horas específico só para os estudos.

"Praticar o 'autoengano' é a pior coisa. O aluno pensa: 'vou assistir a um filme, jantar e depois ir para a balada porque preciso descansar, desestressar'. Mas não dá para fazer isso tudo, porque assim ele quebra a rotina. Além de perder a noite, ele acaba perdendo também a manhã do dia seguinte", conta Wilton.
Getty Images
Getty Images

Esteja atento às notícias

Temas importantes da atualidade podem aparecer como contexto nas questões ou também como parte do tema da prova de redação. Por isso, Saray defende: você precisa estar atento às notícias, seja por meio de jornais impressos ou digitais.

Ela exemplifica: "A redação tem a característica da proposta de intervenção. Para isso, o candidato tem que ter em mente qual é a visão de mundo dele, e isso se adquire através da leitura".
Getty Images
Getty Images

Desligue o celular

Se por um lado é importante estar atualizado, por outro, estar conectado 24 horas por dia pode atrapalhar o seu preparo para o Enem. O principal problema, para Wilton, é o costume de ficar olhando o celular a cada notificação. Isso distrai e tira seu foco.

O professor é claro: "é preferível você passar 3 horas estudando sem o celular do que 6 horas com ele".
Getty Images/iStockphoto
Getty Images/iStockphoto

Pratique a redação, mas não deixe a correção de lado

É importante treinar uma variedade de temas, até para que você aumente seu repertório de argumentos. Mas não esqueça que, além de escrever textos novos, você precisa reler e reescrever os que já fez.

"A correção é muito importante para o aluno enxergar quais competências precisam ser melhoradas", afirma Saray.

"Se tiver alguém que possa ler o texto para você, perfeito. Mas uns dois dias depois de terminar o texto você mesmo pode reler e fazer uma análise crítica", conta Wilton.
Getty Images/iStockphoto
Getty Images/iStockphoto

Junte o lazer com atividades que possam ajudar nos estudos

Na hora do lazer, tente dedicar um tempo para peças de teatro e filmes que possam ajudar você a estar mais preparado para o Enem.

"Muitos espetáculos discutem, por exemplo, os conflitos do homem hoje. O mesmo acontece com os filmes. Dá para ver em dupla, em trio, e depois debater sobre o que foi visto. Assim, o aluno vê os amigos e ao mesmo tempo se prepara para a prova", afirma Wilton.
iStock
iStock

Não esqueça de se alimentar e dormir direito

De nada adianta ficar lutando contra o sono e o cansaço: lembre-se de respeitar os limites do seu corpo. Busque sempre o equilíbrio.

"Cansou? Pare, dá uma volta na escola, no quarteirão. A recuperação também é importante. O ser humano não consegue produzir se está cansado", afirma Vera.

A professora ainda lembra dos cuidados com a comida. "Tem que ter uma alimentação adequada, comer coisas saudáveis e que sejam realmente nutritivas".
Getty Images
Getty Images

Faça exercícios físicos

Para cuidar da sua saúde mental em meio a tanta pressão, os professores recomendam uma estratégia simples: fazer exercícios físicos.

"A melhor forma de manter a sanidade mental e controlar a ansiedade é por meio de um esporte. Não é, também, passar o dia se exercitando. O aluno pode deixar uma hora por dia para ir à academia ou fazer uma caminhada ao ar livre, por exemplo", conta Saray.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos