Vestibular: professores dão dicas para tornar seu estudo mais produtivo

Hugo Araújo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Acorda, vai para a aula, almoça, estuda, faz uma pausa, estuda mais um pouco, descansa… A maratona é só um dia "normal" na vida de um vestibulando. Neste período, é muito comum os alunos acharem que "aguentam" uma rotina pesada, com poucas horas de sono e de lazer. No entanto, o esforço em excesso pode não só fazer mal à saúde, como também tornar o estudo improdutivo.

"É importante que o vestibulando entenda que ele não deve se matar de estudar. Às vezes, eles querem estudar de segunda a domingo. Todo mundo precisa de tempo de lazer. Sem ele, a gente fica muito improdutivo", explica Christian Barbosa, especialista em gerenciamento de tempo e produtividade.

Segundo os especialistas ouvidos pelo UOL, quatro elementos são essenciais para que a maratona até o vestibular seja produtiva: dormir bem, ter horários e objetivos definidos para o estudo, ter momentos de lazer e se alimentar adequadamente. Respeitar estes passos é muito importante para que o cérebro fique focado naquilo que é relevante e consiga absorver todas as informações.

Portanto, ficar estudando por muitas horas seguidas, sem descanso, não é uma boa ideia.

Confira abaixo seis dicas para tornar seu dia de estudo mais produtivo:

Reprodução/lifehack
Reprodução/lifehack

Tome café da manhã

A neurocientista Carla Tieppo, que também é professora da Santa Casa de São Paulo, compara não tomar o café da manhã a ligar um computador no modo de segurança. “Você só vai rodar os programas mais urgentes”, explica. Segundo ela, o corpo precisa de energia para realizar as tarefas. “Não vá com fome de jeito nenhum. Algumas pessoas afirmam que não têm fome de manhã. Isso é falso. Elas só não têm o hábito de se alimentar naquele horário.”
Shutterstock
Shutterstock

Monte um plano de estudos

É essencial que você planeje quais assuntos estudará durante o dia. “Pegue as matérias e quebre o conteúdo por partes. Depois distribua-o ao longo da semana. Isso funciona melhor porque você vê o progresso e não fica estudando aleatoriamente”, explica Christian Barbosa. A neurocientista Carla Tieppo destaca que o planejamento deve ser realista. “Quando você constrói um plano de metas difícil de ser atingido é maior a chance de não cumpri-lo”, explica.
Reprodução
Reprodução

Defina horários

“Escolha horários para estudar. A rotina é importante neste momento. Sem ela, você fica meio perdido e improdutivo. Por exemplo, se você definiu que vai estudar todos os dias das 15h às 17h, respeite isso. É essencial criar um padrão de horário”, explica Christian Barbosa. Segundo ele, durante os estudos, é importante também definir horários para as pausas. “Isso dá um descanso para o cérebro e aumenta o nível de foco e atenção”, conclui.
iStock
iStock

Sentiu dificuldade? Busque ajuda!

Sabe aquele exercício que você tentou resolver diversas vezes sem sucesso? Ou aquele conteúdo que não entra na sua cabeça, mesmo depois de reler o livro sucessivas vezes? Neste caso, é melhor parar de insistir e buscar ajuda. Caso contrário, você pode perder muito tempo e, ainda, ficar frustrado por não ter entendido. “Você pode buscar ajuda na internet, por meio de vídeos, provavelmente alguém pode explicar o conteúdo de outra forma”, explica Christian Barbosa.
Reprodução/princessinthetower
Reprodução/princessinthetower

Durma bem!

Segundo Carla Tieppo, um dos erros mais comuns é diminuir as horas de sono para estudar mais. “O número de horas de sono está diretamente relacionado com a capacidade cerebral de reconhecer informações que precisam ser guardadas e conseguir fazer uma ‘faxina’ do que não é tão importante”, explica. Segundo ela, é essencial dormir de 7 a 9 horas. “Vai ter de acordar às 6h para ir ao cursinho? O ideal é que 22h ou 23h, no máximo, você já esteja dormindo.”

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos