PUBLICIDADE
Topo

Vestibular

Candidatos em Belém acharam que poderiam usar dicionário na prova de inglês do Enem 2012

Sandra Rocha

Do UOL, em Belém

04/11/2012 20h31Atualizada em 05/11/2012 20h27

Candidatos do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2012 em Belém acharam que poderiam utilizar dicionários para responder a prova de inglês ou espanhol. Segundo Débora Matos,18, na sala em que ela estava, só uma informação surpreendeu alguns candidatos: "eles não poderiam utilizar o dicionário para resolver as questões de língua estrangeira, como dizem que faziam nas edições anteriores do Enem".

A maioria dos candidatos saiu da UFPA (Universidade Federal do Pará) poucos minutos antes do encerramento das provas, alegando que a demora ocorreu por causa do formato das questões, muito longas.

“O Enem não é difícil, mas é cansativo por causa do número de questões e porque elas são longas demais. Teve uma questão de português que só o enunciado era de uma página”, comentou a candidata Débora. 

Redação

O candidato Breno Cruz da Silva, 17, diz que chegou a exercitar um texto sobre esporte e inclusão social, pois o tema era uma das apostas de cursinhos para a redação.

“O tema foi fora do comum, contudo, foi fácil”, avaliou Breno, enquanto a candidata Débora Matos disse que “não foi o que todo mundo esperava o ano todo”.

Entre os temas trabalhados ao longo do ano nos cursinhos foram citados os esportes, por causa dos investimentos feitos pelo Brasil em preparação à Copa do Mundo de 2014, e a polêmica sobre a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte.

Bruno Ian, 20, disse que, apesar da frustração, ele aproveitou o tema para explorar pontos como as dificuldades enfrentadas por brasileiros para se mudarem para outros países, apesar de facilitarem a vinda dos estrangeiros. “Aqui eles têm total liberdade, enquanto para o brasileiro ir pra lá, é muito difícil. Li os textos de apoio, mas me preocupei em explorar esse aspecto”, afirmou.

Vestibular