PUBLICIDADE
Topo

Vestibular

Candidatos em Porto Alegre acham "acessível" segundo dia de provas do Enem 2012

Alexandre Monteiro tenta vaga para comunicação social - Flávio Dutra/UOL
Alexandre Monteiro tenta vaga para comunicação social Imagem: Flávio Dutra/UOL

Flávio Ilha

Do UOL, em Porto Alegre

04/11/2012 16h05

A maior parte dos estudantes que prestou o segundo dia de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2012 no campus da Fapa (Faculdades Porto-Alegrenses), em Porto Alegre, considerou “acessível” o conteúdo das questões. O tema da redação –imigração para o Brasil no século 21– não causou surpresa nem impôs dificuldades, segundo os relatos.

“Para quem lê jornal e acompanha o cotidiano do país pela internet, ficou fácil desenvolver a redação”, disse a vestibulanda Bianca Doneti, 23, que disputa uma vaga de Pedagogia na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Ela relatou que fez a redação em 15 minutos e que achou o tema “fácil”.

O candidato Alexandre Monteiro, 18, também achou que a redação foi a parte mais fácil do segundo dia de prova. “Foi o que me salvou, eu acho, já que sou bom com as palavras. Mas em matemática eu chutei um monte, fiz só as de somar e subtrair”, reconheceu o punk, que quer cursar comunicação social.

Antonio Severo, 57, também considerou o tema da redação “tranquilo”. Candidato a uma vaga de direito em universidade particular por meio do Prouni, Severo achou “bastante complexa” a prova de matemática. Português e literatura, para ele, não assustaram. “Literatura estava bem acessível. Para quem acompanhou a lista de leituras obrigatória, foi acessível”, disse. Ele foi o primeiro candidato a deixar o local de prova no campus da Fapa, exatamente às 15h01.

De olho na possibilidade de terminar o ensino médio pelo Enem, a estudante Bianca Maieski também achou “difícil” a prova de matemática. “Mesmo que estivesse bem ilustrada e compreensível, matemática é matemática”, descreveu Bianca.

No segundo dia de prova, o campus da Fapa, que reúne mais de 5 mil candidatos do Enem em Porto Alegre, não houve registro de problemas com relação às provas. Apenas sete candidatos não puderam entrar no campus devido à perda de horário – quatro deles estavam em um mesmo ônibus que estragou no trajeto.

Vestibular