PUBLICIDADE
Topo

Vestibular

Enem 2012 teve abstenção de 27,9%; mais de 1,6 milhão de inscritos faltaram

Do UOL, em São Paulo

04/11/2012 19h07Atualizada em 04/11/2012 20h01

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2012 registrou abstenção média de 27,9 %. Inep divulgou o dado em seu site na noite deste domingo (4). Ou seja, mais de 1,6 milhão de inscritos não foram fazer a prova. O Enem 2012 teve recorde de inscritos: 5.791.290. 

Abstenção por Estado

 Ausentes
AC29,30%
AL22,65%
AM32,82%
AP27,95%
BA32,90%
CE27,34%
DF32,00%
ES30,20%
GO29,20%
MA26,60%
MG28,50%
MS32,40%
MT30,38%
PA26,80%
PB24,31%
PE27,00%
PI21,60%
PR24,87%
RJ25,18%
RN25,04%
RO30,10%
RR33,57%
RS29,80%
SC21,41%
SE25,60%
SP28,12%
TO27,60%

Os Estados com maior índice de faltosos, nos dois dias, foram Roraima, Bahia e Amazonas. Com menor índice registraram-se Piauí, Santa Catarina e Alagoas. No ano passado, o índice de abstenção média havia sido de 26,4% e, em 2010, 28%. 

As provas foram encerradas às 18h30 deste domingo. No segundo dia de aplicação de provas, os candidatos responderam a 90 questões sobre Linguagens, Códigos e suas tecnologias e de Matemática e suas tecnologias. Fizeram também a prova de redação, que teve como tema "Movimento imigratório para o Brasil no século 21".

Desclassificados

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, informou que 65 candidatos foram desclassificados após terem sido flagrados postando fotos do Enem  nas redes sociais. 

Mesmo após o fim da prova, mais candidatos que tiverem divulgado imagens na internet também poderão ser excluídos do exame caso o MEC encontre fotos que tiverem sido postadas durante o horário do exame. A prova foi encerrada às 18h30 (horário de Brasília).

Pelo edital do Enem, o uso de telefones celulares e aparelhos eletrônicos dentro dos locais de prova é proibido. Os aparelhos devem ser guardados em sacos plásticos e colocados embaixo da cadeira.

Parto

No Mato Grosso do Sul, uma estudante de 17 anos deu à luz um menino minutos antes da prova do Enem. O fato aconteceu em Sidrolândia, cidade distante 60 km de Campo Grande.

A adolescente entrou na sala para a prova, que começou ao meio-dia (13h em Brasília), por volta das 11h. Quinze minutos depois, ela passou mal e pediu para ir ao banheiro.

Já em trabalho de parto, ela foi socorrida por uma auxiliar de enfermagem que atuava na fiscalização do exame. Ali ela teve o bebê. Em seguida, a estudante foi levada para o hospital da cidade. Mãe e filho passam bem.

A garota e seus familiares, moradores de um assentamento rural perto de Sidrolândia, disseram no hospital que não sabiam da gravidez. A adolescente não comentou que curso gostaria de completar caso fosse bem no exame.

Mercadante ligou para a adolescente a autorizou a refazer a prova nos dias 4 e 5 de dezembro, quando o exame será aplicado em unidades prisionais e socioeducativas.

A assessoria do MEC informou que o edital do Enem prevê que, em casos de acidente ou mal súbito, por exemplo, no dia oficial do exame, o candidato tem a chance de fazer as provas depois, na mesma data em que são aplicadas nos presídios. No ano passado, ainda segundo a assessoria, um estudante que foi atingido por um ventilador quando fazia a prova também pôde fazer o exame depois.

Vestibular