PUBLICIDADE
Topo

Ex-aluno de escola pública faz vaquinha para mestrado no exterior

João Raphael, 22, ganhou uma bolsa parcial para cursar mestrado em relações internacionais na Hungria - Arquivo Pessoal
João Raphael, 22, ganhou uma bolsa parcial para cursar mestrado em relações internacionais na Hungria Imagem: Arquivo Pessoal

Lucas Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

07/07/2016 17h14

João Raphael Martins da Silva Gil é um exemplo. Aos 22 anos, o morador de São Gonçalo, no Rio, que acabou de concluir o ensino superior, já conquistou uma vaga para fazer mestrado no curso de relações internacionais no exterior. Ele conseguiu uma bolsa parcial para estudar numa universidade da Hungria e agora precisa de ajuda para angariar dinheiro para as despesas. Por isso está fazendo uma vaquinha onlinehttp://zip.net/bhtlSS (link encurtado e seguro)

A vida não foi fácil para João. Aos 11 meses de vida, perdeu o pai, morto durante uma rebelião num presídio. Em 2012, foi a vez da mãe num acidente de carro. Foi ela a inspiração do estudante para ir fundo nos estudos. A enfermeira foi a primeira da família a concluir o ensino superior e trabalhava duro para sustentar a família.

"Considero minha mãe central para todo o meu desenvolvimento hoje. Ela fez curso de auxiliar de enfermagem, depois técnico e em seguida a graduação", conta. "[A morte dela] ainda é indescritível." A genitora mostrou para João a importância dos estudos desde cedo. Quando ela precisou de mais dinheiro para concluir o ensino superior, colocou o garoto, que estava estudando numa escola particular, para continuar o ensino fundamental em escola pública.

Depois de formada, não deixou de olhar pelo filho. Começou a trabalhar numa faculdade e conseguiu uma bolsa para João estudar na escola particular da instituição durante o ensino médio.

João Raphael Martins da Silva Gil, 22, ganhou uma bolsa parcial para cursar mestrado em relações internacionais na Hungria. Na foto, ele com a mãe Márcia Regina Martins da Silva - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
João e a mãe, Márcia Regina, que faleceu em 2012 num acidente de carro
Imagem: Arquivo Pessoal

Relações internacionais

O interesse de João pelo curso começou no ensino médio. "Fui motivado pelo interesse em entender os acontecimentos mundiais. Consegui ir à [Conferência das Nações Unidas] Rio+20 e tive a certeza de que era aquilo mesmo que eu queria. Tem uma grade que me agrada muito, como estudos sobre a África e a Ásia na grade."

Em 2012, ele conseguiu bolsa integral para estudar relações internacionais no Centro Universitário La Salle. Dois anos depois, João acabou sendo selecionado para representar a instituição no Programa de Liderança Global, realizado em Barcelona.

O garoto foi em busca de emprego para conseguir bancar cursos de inglês, francês e espanhol. "A educação vem abrindo portas para mim e talvez isso tenha sido o estímulo necessário para que eu desenvolvesse o desejo de usá-la como instrumento de transformação da vida das pessoas", afirma. Ele pretende continuar na carreira acadêmica.

Hungria

Para ser aceito no mestrado da Central European University, instituição que se localiza em Budapeste, capital da Hungria, João precisou fazer uma prova de proficiência em inglês, mandar duas cartas de recomendação e elaborar um ensaio. Além disso, foi necessário enviar um currículo com todas as experiências acadêmicas e de trabalho.

"Trabalhei durante um tempo na minha própria faculdade e me mandaram mapear os melhores cursos de relações internacionais do mundo. Foi quando descobri a universidade na Hungria", lembra.

A bolsa que João ganhou arca com 50% dos gastos apenas do curso -- ele terá de pagar do próprio bolso moradia e alimentação. Por isso, o estudante organizou uma vaquinha online e já está procurando emprego em Budapeste. Ao todo, ele precisa de pelo menos 24 mil reais para cobrir um ano de curso. O embarque está previsto para o início de setembro.

"Coloquei como meta na vaquinha R$ 12 mil porque esses sites de arrecadação coletiva acabam ficando com uma parte. Caso eu não batesse a meta, eles poderiam ficar com quase 20% do que arrecadei", comenta. Até o momento, João tem um pouco mais de R$ 13 mil reais arrecadados -- metade do que precisa.

Receba notícias de educação pelo Whatsapp

Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? 1) adicione este número à agenda do seu telefone: +55 11 975132889 (não esqueça do "+55"); 2) envie uma mensagem para este número por WhatsApp, escrevendo só: educa21