PUBLICIDADE
Topo

MEC estuda divulgar alunos com melhor resultado no Enade como incentivo

Fernando Moraes/Folhapress
Imagem: Fernando Moraes/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

04/10/2019 11h06

O MEC (Ministério da Educação) avalia mudar o edital do Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) para poder divulgar os alunos que tiverem o melhor desempenho no exame. Ao mesmo tempo, o ministro Abraham Weintraub defendeu que o aluno com rendimento baixo na prova não deveria ter direito a se formar.

"Uma pessoa que faz a prova e não consegue acertar, ou acerta 10% das questões, eu acho que essa pessoa não deveria se formar. Não deveria ter o diploma", disse em entrevista coletiva.

O Enade é um exame feito por estudantes - ao final dos cursos de graduação - para avaliar conhecimentos, competências e habilidades desenvolvidas ao longo do curso.

Weintraub disse que o governo avalia algumas ideias de punição, mas que nada será feito "a fórceps". "Vamos fazer no diálogo, na conversa. Tem que passar pelo Congresso", explicou o ministro.

"Eu realmente acho que quem faz entre 0% e 20% foi sabotar. Fez a prova fazendo graça", afirmou. Ao mesmo tempo, segundo ele, a ideia da divulgação dos melhores resultados visa incentivar os estudantes a fazerem a prova de forma correta.

"Uma das coisas que para mim é gritante é que hoje o aluno pode fazer a prova como se não houvesse amanhã. Não tem incentivo nenhum individual a fazer a prova de uma forma correta. Nós não temos como mensurar adequadamente se aquela instituição teve um bom desempenho de fato", explicou.

O presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Alexandre Lopes, informou que a pasta estuda mudar o edital no ano que vem para que essa divulgação possa ser feita.

"A lei proíbe que eu divulgue a nota individual do aluno, mas a gente quer divulgar aqueles que tiveram melhor resultado, que ficarem entre 8 e 10 e entre 6 e 8 na relação por cursos como uma forma de incentivo, para que o aluno busque ficar entre os melhores para poder colocar isso no currículo, competir para uma vaga no emprego", explicou.