PUBLICIDADE
Topo

Marcos Pontes cita "buraco" no orçamento de 2020 na verba do CNPq

Pedro Ladeira/Folhapress
Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

29/11/2019 09h06

O ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes, disse que existe um "buraco" no orçamento do ano que vem na verba de fomento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Em entrevista ao jornal "O Globo", o astronauta citou o problema de contingenciamento de mais de 42% e disse que está lutando para aumentar os recursos.

"As bolsas, nós garantimos, ainda tem um buraco no fomento. Está bem mais baixo do que eu queria, então ainda estamos trabalhando. Temos um setor muito bom de fundos e viemos estudando como fazer isso de forma sólida, algo que funcione e pare em pé, então foi instituída a portaria dos fundos de endowment [patrimoniais]. Mas não vamos ter o problema do contingenciamento no ano que vem, porque o orçamento de ciência e tecnologia do ministério não será contingenciado. Isso facilita muito, porque podemos planejar e executar dentro desse planejamento".

Pontes deu sobre versão ao veículo sobre a não utilização da verba citada. "Tivemos 42,27% de contingenciamento no início do ano. Ou seja, tudo que foi feito no ministério foi para economizar recursos para ajustar com orçamento restante. Então, quando chega no final do ano e isso é descontingenciado, ainda não houve tempo para usar o dinheiro".

Além do tempo, o ministro citou questões burocráticas para executar a ação no CNPq, mas garantiu que o ano de 2020 será diferente.

"Por mais que haja projetos esperando, há uma burocracia para colocar o dinheiro da maneira correta. O bom é que, para o ano que vem não teremos esse problema. A execução das nossas unidades de pesquisa é bem alta, porque não contingenciei recursos das unidades de pesquisa, então elas conseguiram trabalhar de maneira eficiente", disse ele ao jornal.

Educação