PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
3 meses

Ribeiro: fala sobre crianças deficientes foi usada de forma não apropriada

O ministro da Educação, Milton Ribeiro - Marcelo Camargo/Agência Brasil
O ministro da Educação, Milton Ribeiro Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo

19/08/2021 18h50

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, pediu desculpas por sua fala sobre crianças com deficiência. Ele, porém, manteve a posição de defender que estes alunos, que chamou que "especiais", estudem em salas separadas.

Em seu Twitter, Milton Ribeiro escreveu no início da noite de hoje que "algumas palavras foram utilizadas de forma não apropriada e não traduzem, adequadamente, o que eu quis expressar".

"Inicio pedindo perdão a todos que sentiram-se ofendidos ou constrangidos com a forma como me expressei em relação aos nossos educandos especiais", escreveu.

Algumas palavras foram utilizadas de forma não apropriada e não traduzem, adequadamente, o que eu quis expressar. Minha intenção foi referir-me quanto à dificuldade de desenvolvimento adequado de algumas crianças com deficiências em classes comuns."
Milton Ribeiro, ministro da Educação

Mais cedo, Milton Ribeiro tinha dito que existem crianças com "um grau de deficiência que é impossível a convivência" nas escolas. "Nós temos, hoje, 1,3 milhão de crianças com deficiência que estudam nas escolas públicas. Desse total, 12% têm um grau de deficiência que é impossível a convivência."

A declaração de hoje aconteceu no Recife após o ministro ser questionado por sua fala de uma semana atrás, quando em programa da TV Brasil ele mencionou um suposto "inclusivismo", o que acabou gerando um bate-boca com o senador Romário (PL-RJ).

A gestão de Ribeiro à frente do MEC (Ministério da Educação) tem privilegiado a criação de sala especiais para crianças com deficiência. Isso vai contra as bases da educação inclusiva, que defende a integração das crianças, e o PNE (Plano Nacional de Educação).