Conteúdo publicado há 10 meses

Unisa expulsa alunos de medicina identificados nus em jogo em SP

A Unisa (Universidade Santo Amaro) anunciou que expulsou os alunos de medicina da instituição que exibiram as partes íntimas durante uma partida de vôlei feminino. A instituição informou que a expulsão vale para todos os estudantes "identificados até o momento", mas não divulgou quantos foram alvos da medida.

O que aconteceu:

Em comunicado divulgado no Instagram, a instituição disse que a reitoria tomou conhecimento do caso, "contendo gravíssimas ocorrências envolvendo os alunos do seu curso de medicina", nesta manhã. As cenas repercutiram nas redes sociais no último final de semana, mas teriam ocorrido durante uma competição esportiva entre universidades, entre elas a Unisa, no mês de maio.

A Unisa comunicou que, mesmo que os fatos tenham ocorrido fora das dependências da instituição e sem responsabilidade da mesma sobre tais competições esportivas, aplicou a medida "mais severa" prevista em regimento e decidiu expulsar nesta segunda-feira (18) todos os alunos identificados até o momento nos vídeos.

A instituição definiu os registros em que os estudantes aparecem nus como "atos execráveis" e informou que, "considerando ainda a gravidade dos fatos", também levou o caso às autoridades públicas.

A universidade ainda informou que está contribuindo com as demais investigações e providências cabíveis. A nota é assinada pelo reitor da instituição, o Prof. Dr. Eloi Francisco Rosa.

A Unisa, instituição com mais de 55 anos de história, repudia veementemente esse tipo de comportamento, completamente antagônico à sua história e aos seus valores.
Nota da Unisa

Entenda o caso

Em um dos vídeos, é possível ver cerca de 20 alunos da Unisa com as calças abaixadas e exibindo os órgãos sexuais masculinos, alguns deles cobertos pelas mãos, durante um jogo de vôlei feminino. Eles estavam na arquibancada acompanhando o evento.

Continua após a publicidade

Um outro vídeo deste mesmo grupo mostra o momento em que eles correm pelados pela quadra.

Após repercussão dos vídeos, a Polícia Civil de São Paulo determinou o registro de um boletim de ocorrência para a investigação do caso, incluindo a identificação dos suspeitos, informou a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo). A corporação enviará requisições às universidades envolvidas e à Secretaria de Esportes da Prefeitura de São Carlos.

O ministro da Educação, Camilo Santana, determinou que o MEC (Ministério da Educação) notificasse a Unisa para apurar as providências tomadas pela instituição contra alunos de medicina que foram flagrados nus nos vídeos.

'Não houve masturbação'

A reportagem de UOL Esporte ouviu alunos presentes na partida polêmica. Eles alegaram, sob condição de anonimato, que os homens não se masturbaram, como foi relatado em alguns posts das redes sociais.

Segundo os alunos, os homens estavam tapando os respectivos órgãos com as mãos e não teria ocorrido a masturbação coletiva.

Continua após a publicidade

Posição da Atlética da Medicina de Santo Amaro

Hoje, após a circulação do vídeo, a Atlética da Medicina de Santo Amaro (Associação Atlética Acadêmica José Douglas Dallora) emitiu um posicionamento oficial. Em contato com a reportagem, a Atlética destacou que vai ter uma reunião com a Unisa para abordar o assunto e afirmou que, após o ocorrido, expulsará de seu quadro os integrantes que repitam o ato.

O grupo ainda destaca que, na ocasião em que os episódios ocorreram, não houve nenhuma repercussão do caso, nem reclamações ou punições aos envolvidos.

"A Associação Atlética Acadêmica José Douglas Dallora (A.A.A.J.D.D.) vem, por meio desta, manifestar-se oficialmente sobre o episódio que tem circulado nas redes sociais, com apontamento para a Intermed (realizada entre os dias 2 a 9 de setembro de 2023).

As filmagens circuladas pela mídia não são contemporâneas e não representam os princípios e valores pregados pela A.A.A.J.D.D.

Não toleramos ou compactuamos com qualquer ato de abuso ou discriminatório. Assim, atletas, torcedores, equipe técnica e todos os envolvidos em nossas competições e eventos são, por nós, incentivados sempre a terem comportamentos pautados em princípios éticos e sociais em que prevaleçam o respeito, a inclusão e igualdade.

Continua após a publicidade

Reiteramos o compromisso exclusivo com o esporte e seu incentivo dentro do ambiente acadêmico, por acreditar que o mesmo é fundamental para a saúde e o desenvolvimento do atleta."

Posição do Centro Acadêmico Rubens Monteiro de Arruda

Em uma postagem no Instagram, o Centro Acadêmico Rubens Monteiro de Arruda, da mesma faculdade, também lamentou o ocorrido.

"Repudiamos as atitudes demonstradas nos vídeos que estão circulando nas mídias sociais. Tais feitos são um retrocesso para a nossa universidade e, portanto, não representam a nossa querida casa", diz a postagem.

Cultura de abusos em trotes no curso de medicina da Unisa

Existe uma cultura de abusos em trotes da Unisa (Universidade Santo Amaro). O UOL investigou por dois meses relatos que envolviam práticas graves na instituição.

Continua após a publicidade

Tapas, socos e cuspe no rosto, humilhações públicas e em meios digitais são alguns dos fatos relatados. A lista de constrangimentos é extensa.

Inclui faxinar a casa de veteranos, ajoelhar-se para ouvir xingamentos aos gritos, aceitar apelidos —inclusive de cunho racista—, seguir regras de vestimenta e de circulação, além de enviar ou receber fotos de genitálias masculinas por redes sociais ou aplicativos de mensagens.

"A tradição dos bixos [sic] homens na abertura é correr pelado na quadra com as outras faculdades", disse um dos participantes.

É cobrado também que se demonstre conhecimento sobre o histórico de uma cultura de abusos que se arrasta há anos, de acordo com alunos e ex-alunos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes