Polícia prende grupo que vendia gabaritos de vestibular por até R$ 120 mil

Marília Assunção, Especial para O Estado

Goiânia

A Polícia Civil de Goiás prendeu nesta quinta-feira, 6, cinco suspeitos de fraudes em vestibulares de Medicina em 12 Estados e no Distrito Federal. Os envolvidos foram flagrados por investigadores disfarçados.

O grupo vendia a aprovação por valores que giravam entre R$ 80 mil e R$ 120 mil, conforme o tipo de entrega do gabarito. A polícia estima que 170 estudantes tenham sido beneficiados pelo esquema e que pelo menos metade tenha sido aprovada.

Os agentes filmaram os suspeitos enquanto eles "ensinavam" a fraude. Eles utilizavam aparelhos celulares debaixo de roupas íntimas bem justas, para disfarçar.

Foram presos o empresário Rogério Cardoso de Matos, apontado como chefe da quadrilha; o estudante de Engenharia Civil Mateus Ovídio Siqueira; Fernando Batista Pereira, que negociava os aparelhos celulares e ensinava a ocultar o equipamento; e dois aliciadores identificados como Osmar e Elisângela.

O delegado Cleybio Januário Ferreira se passou por fiscal e flagrou Ovídio Siqueira com um celular passando o gabarito para os candidatos.

Os nomes dos investigados que foram aprovados serão encaminhados para as universidades para que elas promovam a exclusão deles e melhorem o controle aos locais de provas.

Defesa

A reportagem não conseguiu contato com os advogados dos presos. Em uma conversa entre um suspeito e uma agente infiltrada como candidata ele garante todo 'apoio' para defender os candidatos.

"A gente tem advogado, a gente tem tudo. Se der algum problema, não entra em pânico e fala assim: 'Alguém vai me ajudar'. Eu vou ajudar. Eu tenho os melhores advogados."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos