Misturas: Homogênea ou heterogênea, azeotrópica ou eutética

Fábio Rendelucci
(Atualizado em 29/04/2014, às 16h54)

Misturas, como sabemos, são constituídas por mais de uma substância. O ar atmosférico, a água do mar, e até água mineral são misturas. Em nosso dia a dia lidamos muito mais com misturas do que com substâncias puras, mesmo que nem saibamos que algumas o são.

Para entendermos melhor essa questão, é importante conhecermos o conceito de fase, bastante simples e intuitivo. Quando olhamos para uma amostra e conseguimos detectar uma porção uniforme, com características iguais em toda sua extensão, detectamos uma fase. Pense em um copo contendo água do mar. Embora saibamos que se trata de uma mistura, não percebemos qualquer diferença na amostra, ou seja, ela possui apenas uma fase.

Pense agora em um copo contendo água e óleo. Você sabe que eles não se misturam e facilmente identificamos uma porção com água e uma com óleo. Esse sistema (amostra) possui duas fases. Importante: Fases não estão ligadas ao estado físico. Você pode, como no exemplo da água e óleo, ter duas fases líquidas no mesmo sistema.

Misturas homogêneas

São aquelas cujos componentes não conseguimos distinguir. Ela é perfeitamente uniforme, portanto monofásica. O ar atmosférico e a água do mar são exemplos de misturas homogêneas.

Misturas heterogêneas

São aquelas formadas por mais de uma fase. Nelas conseguimos distinguir mais de um componente. Água e óleo, ar e poeira, são exemplos de misturas heterogêneas.

Identificando misturas homogêneas e heterogêneas

Misturas heterogêneas são facilmente identificáveis já que, na maioria das vezes, visualmente reconhecemos mais de uma fase. Mas e nas misturas homogêneas? Como podemos saber se uma amostra é pura ou uma mistura?

A resposta para isso é a curva de aquecimento.

Curva de aquecimento é o gráfico que mostra a variação de temperatura de uma amostra quando aquecida ou resfriada, incluindo-se as mudanças de estado físico.

Sabemos que durante uma mudança de estado físico a temperatura permanece constante (Q=mL) e que, durante o aquecimento sem mudança de estado, sua variação é linear (). Assim, a curva acima é característica, mostrando dois patamares, um no ponto de fusão (PF) e outro no ponto de ebulição (PE).

Levantando experimentalmente a curva de aquecimento de uma amostra, quatro coisas podem acontecer:

  • A curva apresenta temperatura constante no ponto de fusão e de ebulição;
  • A curva apresenta variação de temperatura no ponto de fusão e de ebulição;
  • A curva apresenta variação de temperatura apenas no ponto de fusão e no de ebulição permanece constante;
  • A curva apresenta temperatura constante no ponto de fusão e variação de temperatura no de ebulição.

Quando os dois pontos (PF e PE) são constantes - caso 1 - a amostra corresponde a uma substância pura. Em qualquer outro caso (2, 3 ou 4), trata-se de uma mistura.

Mistura Comum, Eutética e Azeotrópica

Quando a curva apresenta variação nos dois pontos (PF e PE), dizemos que é uma mistura comum. Quando um, e apenas um dos pontos apresenta variação, essa mistura receberá um nome especial.

  • PF varia e PE constante: mistura azeotrópica
  • PF constante e PE varia: mistura eutética

Exemplos comuns dessas misturas são: água e álcool para mistura azeotrópica e gelo e sal de cozinha para mistura eutética.

Resumindo:

Fábio Rendelucci é professor de química e física, diretor do cursinho COC-Universitário de Santos e presidente da ONG Sobreviventes.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos