Ciências

Abelhas (1): Morfologia das produtoras de mel

Cynthia Santos, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Quem aprecia uma boa colherada de mel com frutas e iogurte no café da manhã tem muito o que agradecer às abelhas. O mel nosso de cada dia é produzido por elas e muitas das frutas que consumimos só chegam às nossas mesas graças à polinização realizada por esses insetos.

Além do mel, outros produtos apícolas são utilizados pelos seres humanos, como a cera, o pólen e a geleia real. A vida das abelhas - em uma sociedade altamente organizada - garante a elaboração de tais produtos.

 

Características morfológicas

As abelhas, assim como as vespas e as formigas, são insetos pertencentes à ordem Hymenoptera. O nome da ordem é uma palavra de origem grega e se refere à presença de asas membranosas. O grupo das abelhas, vespas e formigas é caracterizado por:

  • antenas bem desenvolvidas;
  • partes bucais geralmente alongadas e modificadas para a ingestão de néctar das flores (as mandíbulas permanecem funcionais);
  • tórax reduzido, geralmente fundido ao primeiro segmento abdominal;
  • constrição entre o primeiro e o segundo segmentos abdominais;
  • fêmeas com ovipositor geralmente modificado para cortar, perfurar ou picar.

 

Metamorfose das abelhas

Os insetos da ordem Hymenoptera passam por uma metamorfose completa durante o desenvolvimento. Outros insetos também sofrem metamorfose completa. Você já deve ter visto uma lagarta e uma borboleta. Elas nada mais são do que estágios diferentes no desenvolvimento da borboleta.

A lagarta é a larva da borboleta. Os insetos que sofrem metamorfose completa são chamados de holometábolos. Nesse tipo de metamorfose encontramos quatro tipos de estágios: ovo, larva, pupa e adulto. Durante a metamorfose os insetos sofrem uma mudança radical em suas formas, tecidos e órgãos.

Cynthia Santos, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação é doutora em ciências e pesquisadora do Smithsonian Institution (EUA).

UOL Cursos Online

Todos os cursos