Português

Concordância verbal (2): As regras para casos mais difíceis

Do Manual de Redação da Folha de S. Paulo

Caso Usa-se singular Usa-se plural Uso facultativo
Verbo antes de sujeito composto     Renunciou/Renunciaram o presidente e os ministros. (prefira o plural)
Núcleos em gradação para enfatizar o último termo: Em Roma, um dia, um mês, um ano passa voando. para enfatizar todos os termos: Em Roma, um dia, um mês, um ano passam voando.  
Núcleos resumidos por "tudo", "nada", "ninguém", "nenhum" Visitas, presentes, amigos, nada o tirava da apatia.    
Quem Não foram eles quem sujou a parede.   Pode ocorrer a concordância com o termo antecedente (construção popular): Não foram eles quem sujaram a parede.
Que precedido por singular: Não foi ele que sujou a parede precedido por plural: Não foram eles que sujaram a parede.  
Pronomes de tratamento/Vossa (s) Vossa Excelência está cansado? Vossas Excelências estão cansados?  
Infinitivos infinitivos genéricos: Nadar e correr faz bem à saúde. determinados ou expressando ideias opostas: Rir e chorar fazem parte da vida; O comer e o dormir são necessários.  
Plurais aparentes (nomes próprios de países, Estados, cidades, acidentes geográficos, empresas) sem artigo ou com artigo no singular: O Amazonas nasce no Peru; Minas Gerais produziu grandes escritores no século 20. com artigo no plural: Os Estados Unidos assinaram o acordo; As Casas Bahia fundiram-se com o Grupo Pão de Açúcar.  
Plurais aparentes (nomes de obras literárias) sem artigo: "Suspiros Poéticos e Saudades" marca o início do romantismo no Brasil. com artigo no plural: "Os Lusíadas" representam um marco na literatura. com artigo no plural e verbo "ser": "Os Lusíadas" é/são uma obra-prima.
Verbo associado à palavra "se" transitivo indireto fica invariável: Trata-se de novo produto; Precisa-se de secretárias. na voz passiva, concorda com o sujeito: Vendem-se casas.  
Pronome relativo precedido de plural   A maioria dos soldados que estavam no quartel ouviu a notícia.  

UOL Cursos Online

Todos os cursos