PUBLICIDADE
Topo

Sociologia

Maoísmo (2) - A China e o internacionalismo comunista

Renato Cancian, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

De acordo com o maoísmo, as massas rurais chinesas poderiam cumprir com a função histórica que, nas sociedades burguesas, caberia ao proletariado. Mas a construção de uma sociedade socialista a partir da ação revolucionária do campesinato não dispensou todos os pressupostos teóricos marxistas e nem mesmo algumas experiências praticadas pelos russos liderados por Lênin.

Mao Tsé-Tung valeu-se do conceito de classes formulado por Marx para classificar a massa camponesa como classe oprimida e antagônica dentro da sociedade chinesa. Por outro lado, ele também aceitou algumas idéias de Lênin que considerava o partido comunista como uma organização indispensável ao exercício das funções de liderança e vanguarda do movimento revolucionário.

Porém, os revolucionários chineses sempre salientaram que as funções de um partido comunista num país subdesenvolvido como a China ultrapassava enormemente as atribuições de um partido de vanguarda tipicamente proletário.

Conscientização permanente

No caso particular da China, caberia ao partido comunista exercer um papel de conscientização permanente (ou seja, uma função "didática" com objetivo de transmitir a ideologia socialista), e esse processo deveria ser acompanhado da progressiva arregimentação (organização) das massas camponesas.

Mao Tsé-Tung defendia a tese de que a simples adoção e aplicação dos princípios marxistas e práticas revolucionárias comumente empregadas em países estrangeiros jamais teriam resultados concretos dentro da China. Foi necessário aos chineses, portanto, repensar as práticas revolucionárias e fundamentá-las teoricamente.

A tarefa foi árdua, pois a Revolução de 1917 projetou a Rússia como nação detentora dos paradigmas revolucionários. Nesse contexto, era extremamente difícil para qualquer partido comunista se livrar das pressões dos dirigentes russos sobre os movimentos comunistas estrangeiros para impor o modelo partidário bolchevique como único viável, além das formulações ideológicas e políticas baseadas na experiência soviética.

Sociologia